Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Arte da Simplicidade

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

A Arte da Simplicidade

24
Jun17

Testemunhos de um Profissional de Saúde (em época de acesso ao ensino superior)


Margarida

Os meus dias de trabalho têm sido, nestes últimos meses, uma verdadeira corrida contra o tempo. Dias carregados de pacientes a ver, tomadas de decisões nem sempre fáceis e tantas coisas a fazer e a organizar para que a hospitalização e a continuidade de tratamentos seja garantida... 

Cuidar de pessoas não é só seguir prescrições é também aconselhar o paciente, discutir opções terapêuticas com os médicos/colegas e tomar a cada dia decisões que podem melhorar ou não a vida de quem temos à nossa frente. Nem sempre é fácil, ou seria mais fácil não questionar e cumprir o estritamente necessário mas, dentro do meu papel de profissional de saúde sempre tive preocupações bastante holísticas com o doente. Faço do seu bem estar e do seu conforto uma prioridade em detrimento de técnicas elaboradissimas e que se centram apenas naquele problema que diagnostiquei.

No entanto, e se é verdade que o nosso trabalho enquanto profissionais de saúde é gratificante, não é menos verdade que por vezes ele se torna injusto e emocionalmente pesado. 

Num hospital somos, todos os dias, confrontados com a morte e com a incapacidade. Assistimos a autênticas tragédias, a pessoas que definham aos poucos aos nossos olhos sabendo que nada podemos saber contra isso. Quando a pessoa já se abandonou nada a fará voltar atrás... 

E depois, saímos daquele quarto e colocamos na cara o nosso melhor sorriso quando entramos no quarto do paciente seguinte porque ele precisa de nós no nosso máximo e sem sentimentos que nos parasitam o espírito e nos apagam a objetividade... e é assim que se passa todos os dias, em cada dia.  

Festejamos a alegria de quem parte, de quem segue um caminho de recuperação e de volta à sua vida mas há sempre aquele que fica e a quem nada ou quase nada podemos fazer. 

Se é uma área de trabalho gratificante? Nunca direi o contrário. Mas que por vezes, ao cuidar "daquele" que ali fica semanas e meses a fio sem visitas nem vontade de viver as lágrimas sobem-nos aos olhos, a frustração e a fúria pela nossa própria inércia e a incapacidade de realizar aquele trabalho em que tudo acaba bem que nos ensinam na faculdade toma conta de nós.

E não podemos deixar que os outros o percebam nem nos podemos dar ao luxo de perder a objetividade e o profissionalismo que nos é pedido, e que eu tanto prezo. 

Este texto foi escrito por acaso mas, em época de exames nacionais e de candidaturas de acesso ao ensino superior, deixo-o como um testemunho a todos aqueles e aquelas que pretendem seguir uma carreira nas áreas da saúde e do social:

Estejam preparados para todos os dias ter o coração apertadinho e dar o máximo de vocês a todos aqueles que vão beneficiar do vosso trabalho. Sejam resilientes, transmitam esperança e bons sorrisos.

Deus sabe como eles são por vezes mais necessários e melhor tratamento do que qualquer tratamento médico.

Sejam positivos mas restem objetivos, não criem falsas esperanças naqueles de quem cuidam pois elas só o iram destruir se não se concretizarem.

Estejam preparados para aguentar as lágrimas, forçar sorrisos, dizer o que por vezes não temos vontade de dizer. Esforcem-se por eles e por vocês e não se esqueçam nunca que cuidar do outro é mais do que uma vocação é uma escolha de vida e cabe-nos a todos nós que enveredamos por esse caminho ser cada dia melhores profissionais e sobretudo melhores pessoas! 

Margarida

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D