Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Arte da Simplicidade

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

A Arte da Simplicidade

27
Jul17

Aniversários MUITO Especiais - 5 ideias simples e personalizáveis


Margarida

Um aniversário é sempre um momento importante no ano, especialmente quando se trata do aniversário de alguém que nos seja querido. É inevitável querermos tornar esse dia ainda mais especial e aí começa a correria aos presentes, às pastelarias, aos restaurantes e por aí fora. 

No entanto existem muitas outras maneiras, bastante menos consumistas, de tornar o aniversário de alguém um momento único e inesquecível e, em algumas das sugestões apresentadas, sem se arruinar financeiramente e com o máximo de coisas feitas por ti ou a ser partilhadas contigo! 

Acompanham-me nesta viagem?

- Caixa-Surpresa com bolo de aniversário, guloseimas e bebidas para comemorar! A sugestão apresentada é para aniversário de namoro mas pode bem ser utilizada para comemorar o aniversário do namorado/marido, de uma amiga especial ou de um familiar muito próximo. 

- Festa Surpresa: Organizar uma Festa de Aniversário Surpresa pode ser um presente e tanto. Precisas de um espaço para a realização do evento e de uma lista de convidados. A cada convidado pode ser pedido para trazer algo nas categorias de "doce", "salgado" ou "bebida", para a animação uma playlist com as músicas preferidas do aniversariante. 

- Varão de Fotos: Para aqueles que têm jeito para as artes plásticas (ou então muita força de vontade) esta pode ser uma sugestão perfeita para festejar o amor e a amizade e um presente que nunca sairá da memória do aniversariante.

- Caneca decorada: O presente certo para a colega de casa ou a irmã. Com um preço que será razoável e algum trabalho de "decoração" à mistura ela não se esquecerá de ti, especialmente quando tomar o pequeno-almoço! 

 - Oferecer um Dia/ Fim de Semana Diferente: Prepara uma experiência que a tua amiga gostaria mesmo de fazer e acompanha-a porque não na companhia de outras amigas. Outra possibilidade será levar, durante uma tarde, um dia ou um fim de semana a um lugar onde o aniversariante gostaria muito de ir. Esta opção é claramente aquela que se adapta a todas as carteiras pois pode ir desde uma tarde no Jardim de Serralves até um fim de semana em Paris. 

 

 Espero que tenhas gostado deste post. Em cada subtítulo encontrarás o link que te liga ao artigo original, de onde tirei a ideia. 

Espero que este post vos tenha agradado e acima de tudo que vos permita pensar em alternativas mais personalizadas e criadas ou pensadas por ti em especial para aquela pessoa de que gostas tanto! 

Margarida

 

 

 

07
Jul17

3 Meses sem calmantes! Yeah!!!


Margarida

Como já vos contei em vários outros posts, à alguns anos atrás tive um problema de burn-out e ansiedade. Nessa altura, mais ou menos pelo final do Inverno do ano de 2014, percebi que não podia continuar assim e acabei numa consulta de psiquiatria. 

O primeiro especialista a que fui, e que se é verdade que me apanhou em plena fase negra, escolheu uma terapêutica 100% com medicamentos. Poucas palavras e nenhuma tentativa de estabelecer mais contacto do que aquele que permite a distância entre o paciente e o médico com a secretária pelo meio.

Passei a tomar comprimidos para tudo: para não chorar, para dormir, para acordar... Não critico, nem nunca critiquei as opções clínicas do médico pois, verdade seja dita permitiu-me tirar a cabeça da areia e respirar. Mas, à medida que a situação se estabilizou, e a minha vida deu um dos primeiros turbilhões que estava a precisar decidi deixar de ir às consultas. A sua distância incomodava-me um pouco, assumo. Esse foi o meu primeiro grande erro! 

Completamente noviça nessas coisas de antidepressivos e hipnóticos acabei por fazer uma espécie de desmame de uma forma abrupta e completamente sem nexo. À medida que os comprimidos acabavam eu simplesmente não comprava mais... 

Passado algum tempo, com a partida iminente nesta aventura por terras gaulesas, decidi procurar novamente ajuda médica e, desta vez, o psiquiatra em questão ia muito mais ao encontro daquilo que eu acredito que é o papel de um profissional de saúde. Escutou-me, tentou entender-me e ajudar-me a encontrar soluções.

Claro que, entre a situação que estava ainda fora do meu controlo,  e a minha vida a aproximar-se perigosamente de uma viragem que ninguém poderia adivinhar se iria correr bem ou mal, o recurso a medicação foi inevitável. Ao menos teria um suporte para todas as mudanças que se avizinhavam. Mas desta vez a medicação utilizada foi mais ligeiras e em doses perto das residuais.

Durante quase 3 anos era impossível estar em completo silêncio sem ser para dormir, perder uma noite de sono era sinónimo de quatro dias de recuperação e de uma dor de cabeça mortal, as minhas mãos tremiam-me 24/24 horas por dia e sempre que vinha uma dor de cabeça sentia-me apreensiva.

Não sei se fui só eu mas durante a altura mais incapacitante de todo o meu processo, as dores de cabeça eram muito fortes e constantes. 

A ideia era e sempre foi que eu tomasse a minha vida e as minhas emoções em mãos e que o seu uso seria só uma "ajuda" e nunca a causa do meu restabelecimento. 

À cerca de dois anos decidimos, leia-se eu e o médico, que estava na altura de começar a reduzir as doses terapêutica. Tudo se passou sempre bem e desta vez sempre segui os seus conselhos. 

No entanto voltei a decidir mudar tudo outra vez... aproximava-se uma mudança de mais de 7 horas de viagem de automóvel entre a minha primeira "casa" e a actual. Longe de todas as pessoas com quem me tinha bem entendido inicialmente ia recomeçar tudo do zero. O desmame dos calmantes e dos antidepressivos ficou em "STOP" mais uma vez. Era mais uma grande volta... 

Estou na "nova" cidade há cerca de um ano e meio. O trabalho corre bem apesar de saber que ainda "não é aquele", a equipa não é perfeita mas aprendi que o silêncio, a capacidade de discernimento e a mostra clara de que "trabalho é trabalho, conhaque é conhaque" permitiram-me ter boas relações sem que a minha vida pessoal ficasse demasiado exposta. Aprendi a deixar o trabalho no trabalho, a não levar as opiniões alheias nem as criticas como um "ataque pessoal" e de tentar perceber se gostam de mim ou não, ou se dizem mal de mim ou não uma tarefa, entre todas as outras. 

A entrada de "alguém especial" na minha vida, o que não foi de todo um processo tão fácil nem "linear" também foi uma nova aprendizagem. Afinal os erros e as mágoas do passado tinham-me dado experiência para quê continuar a sentir pena de mim própria?! E por fim, o maior balão de oxigénio que se pode ter, consegui finalmente fazer as pazes comigo mesma. E esse foi, sem dúvida, o mais desafiante e o mais importante dos desafios.

Incluí novas coisas no meu dia a dia: desporto, alimentação, sofrologia, mindfulness, meditação... nem sempre foi fácil mas acabei por me disciplinar. A etapa mais dificil foi mesmo encontrar o sono de uma forma natural. Aceitei que todas as pessoas têm insónias, que não é nada de grave e a meditação ajudou-me neste processo apesar de, ainda hoje, notar que a minha "qualidade" de sono se alterou, acordo de manhã igualmente descansada. 

A minha resistência às lágrimas nunca foi muito forte e, com o desmame fiquei com as emoções muito mais à flor da pele sem no entanto me sentir fragilizada, e muito menos envergonhada, com isso. 

Já passaram três meses e estou bem e feliz. Consigo estar em casa, em total silêncio sem me sentir incomodada, voltei a puder ir a lugares com muita gente e barulho sem que o som me suba à cabeça e que lá permaneça como um ruído gigante. As minhas mãos tremem menos e os meus dias têm fases distintas decidadas a mim própria, à minha família e amigos, ao meu namorado e ao meu trabalho. 

A qualidade e a higiene de vida tornaram-se fundamentais sem, no entanto, pensar nisso como uma obsessão e, apesar de ter sido longo e ter tido muitos altos e baixos acho que eu, e todos aqueles que me acompanharam ao longo destes anos, estamos de parabéns não pelo fim do consumo de antidepressivos e calmantes mas por nunca me terem deixado acreditar que era para a vida toda e que não podia assumir sozinha o controlo da minha vida. 

O meu conselho a todas as pessoas que estão a passar por uma destas situações: os químicos devem ser tomados de forma pontual e não "para a vida" como se houve bastantes vezes. Tentem cercar-se daqueles que vos amam, aprendam a "relativizar" e que "errar é humano", perdoem-se a vocês e aos que vos fizeram mal. Sorriam, cuidem-se e fortaleçam-se. Reencontrem-se e acreditem que a vossa vida é vossa e não é uma má fase que vos vai roubar o seu controlo. 

Um grande beijinho de força e esperança! 

Margarida

 

28
Mai17

Dia da Criança! 'Bora aproveitar os mais novos!


Margarida

E o Dia Mundial da Criança está quase aí... e, mesmo que o seu significado inicial não seja exatamente este, é sempre bom mimar um bocadinho as nossas crianças lá de casa! 

Por isso deixo-vos aqui algumas ideias a realizar em família e com os mais pequenos com tudo o que é preciso: reciclagem, baixo custo, ar livre, divertimento e muito muito amor. Porque afinal as crianças aprendem a amar sendo amadas! 

Um bom dia para eles e para nós... porque há sempre uma criança dentro de cada um! 

- Aproveitar o tempo solarengo para revisitar alguns jogos tradicionais (que nos eram tão queridos e que, a maior parte dos miúdos de hoje em dia não conhece): o jogo da macaca, a "cabra-cega", o macaquinho do chinês entre outros! Tudo para uma tarde deliciosamente divertida... ainda mais porque se o fizerem num parque ou na rua poderão ter os miúdos da vizinhança a pedir para participar o que trará ainda mais amigos para os circulos dos miúdos! 

- Lembras-te da última vez que fizeste um barbecue num parque de merendas ou numa praia fluvial? O bom tempo está aí e o dia da criança pode ser a "desculpa perfeita" para um dia bem passado ao ar livre, longe dos computadores e televisão, com uma bola e um piquenique... e quem sabe um fato de banho? O "presente"? Muitas fotografias, muitos sorrisos e um bom gelado que sabe sempre bem! 

 - É sabido que muitas vezes a nossa vida não nos permite dedicarmos o dia inteiro às nossas crianças, nem mesmo ao fim de semana mas um presente comprado à pressa num centro comercial também não é solução. Guarda o final do dia da criança para ti e para eles: sai mais cedo do trabalho e leva-os ao Parque mais próximo! Eles divertir-se-ão e aproveitaram ao máximo da companhia. Na volta para casa um banho rápido e um jantar feito por todos: hamburguer ou pizzas caseiras (hei não é preciso ser superdotado na cozinha, hem?) e os miúdos vão ficar felicissimos de fazer um dos pratos que mais gostam! 

- Se gostam de actividade física juntem-se com casais vossos amigos ou familiares e levem a criançada toda de bicicleta para um parque ou uma praia. Preparem um arsenal de jogos que todos gostem e desfrutem do vosso dia! Ideia para agradar a miúdos e graúdos, certo?

- Se vocês têm jeito para bricolage e trabalhos manuais que tal fazer um projeto com os miúdos: por exemplo um papagaio de papel? Ideias não faltam na Internet e a euforia irá desde o momento de juntar os materiais (atenção que há montes de coisas que podem ser recicladas) até ao dia de inauguração do projeto. As horas de partilha e de felicidade que isto vos trará!

E com estas ideias vos deixo! Fico à espera dos vossos comentários e experiências e até de outras sugestões. Para fazermos do dia da criança mais uma oportunidade para fazer crescer a união dentro de nossa casa sem os valores do materialismo e consumismo presentes! 

Um bom dia da criança para ti: pai, mão, tio, tia, avó, avô... Que o aproveitem da melhor maneira possível! 

 

Todas as imagens são oriundas da plataforma PINTEREST onde podem também encontrar muitas outras sugestões e ideias para os vossos projetos do Dia da Criança! 

 

 

21
Mai17

Sabonetes: Hidratantes e Económicos!


Margarida

Recentemente partilhei convosco um post sobre as economias possíveis, em dinheiro e ambiente, que podemos levar a cabo na nossa casa de banho (para ler clique aqui).

Uma das 7 ideias propostas era a escolha de produtos cosméticos em forma sólida, como por exemplo os sabonetes. E é exatamente sobre sabonetes que iremos falar hoje! (E não, não estou a gozar!) 

Os sabonetes foram, há já algum tempo, substituidos na nossa vida pelo gel de duche ou o gel de lavagem de mãos por diversas razões: a fórmula gel é mais prática, faz mais espuma ou cheira melhor. Mas hoje, com este post, pretendo mostrar-vos o "reverso da medalha" e apresentar-vos algumas razões para voltar a utilizar estes cosméticos que, a mim, já me conquistaram mas que, confirmo, têm de ser bem escolhidos! 

Comecei a (re)utilizar sabonetes quando comecei o meu caminho em direcção ao "Zero Waste" pois, na minha cabeça, um frasco de plástico é muito mais volume do que um papel de sabonete o que equivale a mais lixo. Também o facto de um produto sólido durar até 3 vezes mais do que um produto líquido me abriu os olhos para uma possível fonte de poupança. 

Ao ínicio, e sem fazer muita atenção ao tipo de sabonete que comprava, percebi que a minha pele ficava muito mais seca e, foi nessa altura, que me decidi a ler e a conhecer melhor um bocadinho do "Maravilhoso Mundo dos Sabonetes" e percebi que não estava de todo a fazer a escolha certa.

Quando tomamos banho procuramos qualquer coisa que nos deixe a pele suave sendo assim o ideal será escolher um sabonete rico em óleos vegetais e que deve sofrer um processo de "saponificação" a frio, de forma a manter as suas propriedades originais, inclusive a hidratação. Ora se um sabonete te deixa a pele seca ele não é suficientemente hidratante ou os seus agentes lavantes são muito muito agressivos.

Nem sempre é evidente a escolha quando conhecemos pouco os produtos mas, em caso de dúvidas, optem por escolher sabonetes de marca certificada biológica, normalmente ecocert, pois assim teremos a mais garantias de utilizar produtos oriundos maioritariamente de agricultura biológica, embalagens recicláveis e tensioactivos menos agressivos para a pele. Outra opção será passar diretamente aos sabonetes 100% naturais (neste caso é preciso colocar as questões certas ao vendedor nomeadamente quanto aos tensioactivos utilizados). 

Outra das vantagens dos sabonetes, especialmente dos naturais, é a sua ligação próxima à naturopatia e à aromoterapia isto porque, para além dos óleos vegetais estes também podem ser perfumados ou melhorados com óleos essenciais e plantas ayurvédicas o que lhes irá conferir um perfume natural e muito suave e nos permitirá aproveitar das propriedades do mesmo, nomeadamente a nível emocional proporcionando mais relaxamento, conforto ou sensação de mais energia.  

Os sabonetes, desde que ricos em óleos vegetais e o mais naturais possíveis, podem ser utilizados em todo o corpo incluíndo no rosto, o que trará como vantagens a exfoliação e a limpeza mecânica mas suave do mesmo. O sabonete é o método de limpeza do rosto preferencial do Layering (saber mais aqui) e deve ser seguido pela aplicação de uma água floral ou de um tónico natural para hidratação. 

Outra grande vantagem de optar por este tipo de produtos é que são, por norma, relativamente baratos, existem inúmeras possibilidades de misturas e perfumes e podem ainda ser comprados a pequenos artesãos que os fabricam e distribuem eles mesmos, apoiando assim os pequenos artesãos, as pequenas empresas e o comercio local.  

Apesar de todas as vantagens da utilização de cosméticos em forma sólida: a sua economia, o facto de serem mais "amigos do ambiente" (especialmente as fórmulas biológicas), de serem hidratarem e não agredirem a pele existem também alguns cuidados a ter quanto à sua utilização. 

Para os proteger da contaminação de bactérias e para que se mantenham limpos e protegidos, os sabonetes devem ser mantidos secos dentro de uma caixa fechada sempre que possível. Também é verdade que as fórmulas sólidas sujam mais a banheira ou o lavatório, devido à sua gordura do que as fórmulas líquidas e isso pode ser por vezes um inconveniente mas, com um paninho à mão será rapidamente resolvido. 

Espero sinceramente que este artigo vos tenha agradado e que vos tenha despertado curiosidade em relação a este cosmético tão fora de moda mas sem razões para isso. 

Desejo-vos a todos um bom Domingo e cá estaremos Quinta com mais um novo post até lá sigam a "Arte da Simplicidade" via facebook ou instagram! 

Margarida

 

14
Mai17

Sítios onde vale mesmo a pena ir! #Viena- Áustria


Margarida

Viena foi, desde sempre, uma cidade que fez parte do meu imaginário muito devido aos filmes da belissíma Romy Schneidder e que contam a história da Imperatriz Elisabete da Baviera, mais conhecida como Sissi, e do Imperador Francisco José. 

Por isso mesmo, e por altura do meu aniversário, decidimos que Viena seria um bom destino de viagem.

Sem ser uma cidade "da moda" onde toda a gente vai não deixa de ser um clássico do turismo "clássico" mas não exagerado o que também era aquilo que procurávamos! 

A viagem é relativamente acessível (depende das épocas do ano, claro), o custo de vida é "aceitável", o inglês serve facilmente de forma de comunicação e é cidade para fazer as delícias dos amantes de história e das artes. 

A arquitectura é grandiosa e a limpeza e a tranquilidade que se vive numa grande cidade, uma das que oferece melhor qualidade de vida aos seus habitantes, são os pontos mais característicos. 

Os locais que mais me encantaram foram: 

- O Palácio de Hoffburg onde podemos visitar o Museu Sissi e o Museu do Tesouro Imperial e que se encontra no centro histórico da cidade, numa zona de comércio e cheia de vida;

DSC_0431.JPG

- O Palácio de Schonbrunn, de certeza um dos mais maravilhosos da Europa com os seus jardins enormes;  

IMG_20170312_095230.jpg

- O Museu de História Natural com a sua arquitectura fantástica e as suas enormes coleções iniciadas no final do Séc. XIV; 

- As ruas enormes, cheias de coisas para ver no geral. 

IMG_20170310_173559.jpg

IMG_20170311_134836.jpg

IMG_20170312_113836.jpg

A nível gastronómico Viena é uma cidade rica e os Appfelstrudel (que nada têm a ver com aqueles que conhecemos dos supermercados) são, de facto, maravilhosos! Uma das coisas que achamos mais curiosas é que os vienenses jantam muito cedo em relação aos povos mais sulistas: Restaurantes abertos às 18h e cheios às 18h30!

Como o nosso objectivo era também passar uns dias de descanso a dois, optámos por não correr a cidade toda de máquina fotográfica na mão e aproveitamos e bem os Cafés Vienenses que são tão bons como a fama que têm! 

Uma cidade imperdível com muita coisa para ver (como é óbvio não vos mostrei nem um terço no post para terem vontade de ir descobrir) e que, por enquanto, se pode fazer sem pressas!

Margarida

(Fotos originais de Março de 2017)

 

11
Mai17

7 Ideias para Economizar o Ambiente... e a Carteira #na Casa de Banho


Margarida

Já lá vão uns tempinhos desde o meu último post deste género. Na altura falei-vos sobre como economizar o Ambiente e a Carteira na cozinha (se não leram sigam por aqui). 

Hoje voltamos ao mesmo tema mas vamos passar para uma outra divisão: a Casa de Banho.

Antes de começar deixo só um pequeno alerta: uma das ideias mais comuns quando se fala em poupar na Casa de Banho é em relação à higiene intima da mulher. No entanto, como eu própria dou os primeiros passos, prefiro guardar esse tema para quando puder fundamentar as minhas opiniões.

E vamos lá dar uma volta à casa de banho e ver onde podemos economizar o ambiente e a carteira: 

- Economizar a água: É preciso saber que a água é das coisas que mais desperdiçamos na nossa Casa de Banho, o que tendo em conta o preço que pagamos e o desperdício de água potável é um valor incalculável que nos corre pelos canos. É importante ficar com a noção de que tomar um duche é mais económico do que um banho e que se tivermos o cuidado de fechar a torneira enquanto nos ensaboamos ou escovamos os dentes, por exemplo, chegaremos a uma grande poupança. Pessoalmente (e sem o fazer de propósito quando tomo um duche e não lavo o cabelo) deixo a torneira a correr por mais ou menos 3 ou 4 minutos contra os quinze que deixava enquanto não me preocupava tanto. São uns bons litros de água de poupança. Outra coisa importante será adaptar as descargas do autoclismo. Os mais modernos têm um sistema de descarga mais pequeno opte por ele ao invés de descarregar 7 a 9l de água de cada vez! 

- Não colecione produtos: As nossas casas de banho são, normalmente, locais onde guardamos 20 frascos de cada coisa. A questão é: será que temos mesmo necessidade disso? Para quê ter 3 champôs abertos se utilizo sempre o mesmo? Opte por uma rotina de higiene pessoal onde escolha apenas produtos que realmente goste e que se adaptem às suas necessidades e, caso queira mudar, deixe acabar um antes de começar o outro. A carteira agradece... e o espaço disponível na sua casa de banho também! 

- Faça o máximo de produtos caseiros! Sim, esta foi a grande revolução da minha vida criar os meus próprios produtos. Não o faço para champôs por exemplo, porque exigiria uma disponibilidade da minha parte quer económica quer pessoal para a qual ainda não me sinto preparada, mas existem montes de coisas que podemos fazer em casa ou utilizar os produtos virgens: máscaras para o cabelo, champô seco, exfoliantes, etc. Exige alguma experiência mas, tendo em conta que podemos encontrar uma boa parte dos produtos nos nossos armários da cozinha, sabemos que será menos poluente e "clean" para a pele, para a água e para a carteira nem se fala... 

- Opte por formulas sólidas: que é como quem diz sabonetes *, champôs sólidos ou mesmo para aqueles que gostam de experimentar coisas novas a pasta de dentes ou o desodorizante. Estes duram mais tempo, desde que tenhamos os devidos cuidados, e podemos encontrar formas bio a preços de produtos convencionais. Em Portugal temos por opção a marca Lush, que apesar de não ser bio têm uma composição mais clean em relação a outras marcas e que, acima de tudo não testa em animais,  e em lojas como o Celeiro podemos encontrar várias opções biológicas e que durarão muito muito tempo! Outra vantagem é que, quando se viaja, estes produtos sólidos passam no controlo de bagagem sem qualquer controlo. Prático não é?! 

- Elimina o máximo de coisas possíveis de utilização única: como é o caso dos algodões desmaquilhantes. Existem "algodões" laváveis que são giros, originais e que após cada utilização são lavados e rapidamente prontos a ser usado ao contrário dos descartáveis que utilizamos uma vez e deitamos fora. É uma economia de dinheiro a longo prazo mas também uma santa economia no nosso balde do lixo. As laminas para depilação/barbear podem também ser facilmente alteradas por outro género de laminas metálicas (o investimento é muito mais ao início mas a estrutura dura uma vida inteira) ou por aparelhos elétricos. Quanto às escovas de dentes existem também opções disponíveis: seja as escovas ecológicas que são compostáveis seja as escovas elétricas que são plásticas sim mas que só se utilizam uma vez. 

- Evite os gastos energéticos supérfluos: o aquecedor na Primavera ou o secador podem ser gastos algo desnecessários. Pense se têm mesmo necessidade de os utilizar!

- Opte por produtos de base para limpar a casa de banho: água, vinagre e bicarbonato de sódio fazem maravilhas na limpeza da casa de banho! São inertes para o ambiente, baratos e eficazes sem necessidade de recorrer a 20 produtos diferentes!

Espero que este tema tenha sido do vosso agrado. Se tiverem outras dicas de poupança ou opiniões que queiram partilhar deixem em comentário. Ficarei feliz de as ler! 

Quanto a mim despeço-me até a um novo post no próximo Domingo!

Margarida

 

22
Abr17

Dia da Terra: Vamos Aproveitar e Cuidar!


Margarida

A 22 de Abril comemora-se o "Dia da Terra" mas que não nos esqueçamos que esse dia simbólico deve ser todos os dias e não apenas um!

Repensemos a nossa maneira de nos relacionarmos com esta nossa "grande" casa: a nossa maneira de consumir, os nossos hábitos de vida... em resumo todas as nossas ações têm um impacto sobre ela e, na maior parte das vezes nem nos damos conta. 

E são pequenas  coisas que podemos mudar e nem nos daríamos conta... 

Ir para o trabalho a pé ou de transportes públicos, reciclar, acalmar o espírito consumista, preferir os produtos locais e de preferência biológicos ou de agricultura sustentável, respeitar os espaços verdes e as praias, procurar soluções mais rentáveis do que descartáveis, desligar os eletrodomésticos quando não são precisos... São pequenas coisas que nos podem fazer talvez perder um pouco de tempo ao início mas teremos o dobro em recompensa. 

Teremos praias limpas e belos campos para (re)descobrir que nos darão vontade de levar lá os nossos amigos, filhos ou sobrinhos... sentiremos o verdadeiro sabor dos alimentos, ajudaremos os nossos "vizinhos" do lado ao invés de consumir produtos que vêm do outro lado do Mundo oriundos de uma agricultura completamente exaustiva que ainda têm de percorrer o oceano para vir até à nossa mesa. Reencontraremos o prazer de ouvir os pássaros, de apreciar as flores e o cheiro da relva cortada... ou da terra molhada! 

A terra foi-nos deixada para viver e proteger. Está na altura de finalmente nos comprometermos nesse grande objetivo global, de o transmitirmos a todos os que estão à nossa volta: não hoje mas sempre! 

Aproveitemos este dia da Terra e façamos qualquer coisa que nos lembre de quão especial é este planeta: um passeio à beira rio, um piquenique no campo, comprar flores para a casa, limpar o lixo de uma praia ou simplesmente apreciar o Mundo pela nossa janela! Fico à espera de conhecer as vossas acções, as vossas experiências terei todo o gosto em ler os comentários e sobretudo não se esqueçam de ser felizes. Um Sábado Tranquilo para todos!

Margarida

14892040_8m0vQ.png

 

 

13
Abr17

Criar uma Rotina Matinal para Começar o Dia em Grande


Margarida

Levantar de manhã é, para muitos de nós, uma verdadeira tortura. No meu caso, que até sou do género "madrugadora", torna-se dificil sair da cama em fases de mais stress ou de mais trabalho e isto pode acontecer por diversas razões: ou porque estamos cansados por ter adormecido tarde ou porque o sono não foi suficientemente reparador ou, simplesmente, porque não nos sentimos motivados para começar o dia. 

As consequências desta má disposição matinal vão fazer-se sentir ao longo do dia com a produtividade em baixa e a irritação e o stress em valores muito altos. 

Desta forma deixo-vos aqui algumas ideias para criar uma rotina matinal e, consequentemente, aprender a começar o dia com menos stress e maior boa disposição! 

Levantar mais cedo e não atrasar o despertador! Sim, parece uma loucura dizer isto mas, se nos forçarmos um bocadinho a levantar mais cedo de manhã teremos tempo para acordarmos de uma forma calma, a preparar o nosso café da manhã, a tomar um bom duche e a cuidar de nós e a sair de casa atempadamente, sem correrias! A diminuição do stress é garantida e o conforto na sua própria pele também!

Meditar/Estabelecer objectivos para o dia/semana: Não há necessidade de ir buscar os incensos mas, se ao acordar, nos dermos o tempo de criar um escape nas nossas preocupações e de "esvaziar" um bocadinho a mente começaremos a manhã com muito menos ansiedade. Podemos também aproveitar este momento para estabelecer os nossos objectivos para o dia ou a semana que começa sem se meter a pressão de estabelecer tarefas e datas mas sim de deixar claro que isto terá de estar cumprido. 

Fazer Desporto de Manhã: Esta prática, utilizada por homens e mulheres bem sucedidos, permite-nos começar o dia cheio de energia e relaxar o corpo e a mente. Claro que esta prática pode não ser possível de realizar todos os dias mas, pelo menos, durante o fim de semana e os dias em que temos um bocadinho mais de tempo. 

Inspirar-se: Aproveitar o tempo que ganhamos de manhã para ler, ouvir um programa de rádio ou ver um vídeo podem ser uma excelente forma de se motivar e de se inspirar para o dia que começa! 

E vocês têm alguma rotina matinal que queiram partilhar comigo ou são mais do estilo de atrasar o despertador a cada 10 minutos? Deixem as vossas opiniões nos comentários, ficarei contente de vos ler, assim como aos vossos comentários e sugestões! 

Espero que este post vos tenha agradado! 

Até Breve

Margarida

 

09
Abr17

Óleo de Jojoba e os seus Benefícios para a Pele


Margarida

Olá queridos leitores espero encontrar-vos bem e com muita boa disposição neste Domingo Solarengo!

Aproveito o post de hoje para agradecer o destaque que a querida dESarrumada me fez no Follow Friday desta semana e deixo-lhe uma montanha de beijinhos e um post sobre "Slow Beauty" e o meu óleo "xuxu", que é como quem diz, o Oleo de Jojoba

A Jojoba (Simmondsia chinensis) é um arbusto oriundo dos desertos de Mojave e Sonora (Arizona, California e México). O óleo de jojoba foi durante muitos anos conhecido apenas pelas tribos indigenas que o utilizavam no tratamento de feridas e, tendo em conta a sua resistência ao calor, na cozinha*.

Nos dias de hoje as suas maiores utilizações são a cosmética, o fabrico de velas, um composto de lubrificantes e pneus e uma aplicação nos redutores de apetite. Os possíveis efeitos medicinais da planta estão a ser estudados. 

Este óleo é considerado precioso pelo seu elevado preço e por ser oriundo de uma região muito especifíca. A colheita do grão que dá origem ao óleo é feita à mão. 

O óleo de jojoba é de cor amarela, não tem cheiro e o risco de alergias é mínimo. A sua composição é essencialmente Ceramida (cerca de 96%) e vitaminas e minerais, nomeadamente a Vitamina E e F. Por ser um óleo "seco" a sua utilização na pele do rosto e do corpo é possível e recomendada. Eu, que tenho a pele mista com tendência a oleosa utilizo-o e o meu rosto agradece! 

Deixo-vos agora com algumas utilizações do óleo de jojoba: 

- Regulador de Sebum: Este óleo, por ter uma constituição que se assemelha ao sebum da pele terá um importante efeito hidratante e ao mesmo tempo regulador do sébum natural da pele; 

- Diminuir inflamação: Pelas suas propriedades antibacterianas este óleo pode ser usado em peles acneicas com o objectivo de as limpar e purificar;

- Crescimento do Cabelo: Quando utilizado com uma boa massagem capilar o óleo de jojoba pode ajudar a regular o sébum capilar e assim ajudar na desobstrução dos folículos capilares, permitindo assim um maior crescimento dos fios de cabelo. 

- Amaciador de cabelo: Por ser extremamente hidratante este óleo pode ser utilizado como amaciador de cabelo e protege também contra as quebras; 

- Proteção dos lábios: Mais uma vez o efeito hidratante do óleo vai permitir criar uma aderência sobre a pele mantendo assim a humidade natural e protegendo os lábios; 

- Base de Barbear: Para os senhores este óleo pode funcionar como uma excelente base para barbear.

Pessoalmente utilizo o óleo de jojoba (em estado puro e de origem biológica) para "tudo e mais alguma coisa": como "creme de noite" facial, como "amaciador" quando as minhas pontas estão mesmo muito secas, como uma das bases do meu exfoliante caseiro e também como desmaquilhante quando estou em viagem. 

Espero que este artigo vos tenha feito descobrir as propriedades deste óleo vegetal. Se acabaram de chegar e a utilização de uma cosmética mais natural e sobretudo minimalista vos interessa passem os olhos pelos posts sobre a Slow Beauty e a Utilização dos Óleos como Desmaquilhantes. Para aqueles para quem o óleo de jojoba não é uma novidade ou que têm o objectivo de experimentar estou ansiosa por ler o vosso feedback em comentário. 

Até ao próximo post e um excelente final de Domingo a todos vós!

Margarida

 

 

 

 

 

Fontes:

https://www.beneficiosnaturais.com.br/oleo-de-jojoba-beneficios-para-pele-e-cabelos/

http://dieta.blog.br/oleo-de-jojoba-para-que-serve-beneficios-e-onde-comprar

http://www.ecycle.com.br/component/content/article/67/2709-oleo-vegetal-jojoba-que-e-para-serve-onde-comprar-puro-usos-hidratacao-pele-cabelo-massagem-acne-saude-beneficios-propriedades-composicao-fazer-sabao-cosmeticos-creme-quimica-nociva-parabenos-extracao.html

http://doutissima.com.br/2013/07/01/9-beneficios-do-oleo-de-jojoba-para-o-seu-corpo-7792/

 

 

*Este óleo quando ingerido puro é tóxico para o organismo e não adequado para a cozinha.  

 

27
Mar17

Gerir o "Budget Mensal"... quase como um jogo!


Margarida

Olá Caros Leitores hoje venho falar-vos de um tema um bocadinho diferente do que têm sido habitual mas, no entanto é qualquer coisa que me foi incutida desde muito pequenina e que faço quase inconscientemente: estabelecer um budget mensal e dar-se prazer sem se arruinar.

Cada vez mais ouvimos falar de novos modos de vida e se o "minimalismo", o "Frugralismo", a "simplicidade voluntária" ou outros tipos de vida mais ou menos imateriais se tornaram quase uma "moda" muito se deve a toda a crise económica e social em que a nossa sociedade se encontra mergulhada. Atenção que não estou a fazer uma crítica, todo e qualquer motivo é bom para fazer uma mudança de estilo de vida e tantas quanto se quiser! 

Mas a verdade é que também precisamos de dinheiro, pelo menos aqueles que não se sentem preparados, ou nem sequer anseiam, para dar o "grito de ipiranga", deixar tudo e viver de uma forma auto-suficiente e de simplicidade extrema em muitos dos casos. Desta forma é normal que todos nós, uns mais e outros menos, olhem com alguma cautela para o seu salário e deduzam despesa. Ele são os créditos automóvel e/ou habitação, o alojamento, o combustível, alimentação, roupa e um ou outro extra... e o dinheiro não chega para mais nada! Ou talvez chegue e não esteja simplesmente a ser bem gerido. E é nisso que o "budget mensal" escrito e organizado nos ajuda! 

Deixo-vos aqui 10 dicas para criar e gerir o vosso budget mensal conseguindo assim manter as contas em positivo, e talvez até poupar, como se de um monopoly se tratasse: 

- Anota todas as tuas despesas mesmo as que te parecem mais irrelevantes (como por exemplo o café que tomas todos os dias ao almoço) e faz, no final do mês o cálculo de quanto gastaste e de quanto precisas realmente por item: casa, carro, alimentação, lazer, saúde... Estabelece e adapta esses valores de forma a criares com ele o teu "plafond" mensal!

- Cria um sistema de "envelopes" ou de "colunas" onde colocas o valor que tens disponível para cada item. Por exemplo alimentação 100 euros.. e tenta fazer esse plafond durar até ao final do mês.

- Questiona os teus gastos e quanto pagas por cada coisa: um tarifário ilimitado de chamadas quando nem 1h gastas ao telefone por mês é mesmo útil? E o valor do ginásio onde são mais as vezes que não vais do que as que vais?! Outra coisa importante a fazer será comparar preços e negociar (audiovisual, taxas de juros dos bancos...). Dá trabalho mas também dará lucro: basta estar atento e fazer as perguntas certas.

- O "feito em casa" sabe sempre melhor... mete de lado a comida congelada e o almoçar fora só porque estás com preguiça e dedica-te à cozinha. Para poupar tempo faz pratos a mais e congela. Fica mais barato e não tenhas dúvidas, sabes o que comes!

- Apaga os teus e-mails publicitários! As marcas atacam-nos por todos os lados por isso evita abrir e-mails publicitários que te oferecem coisas do género: compra dois e paga 1! Evita também os centros comerciais como locais de passeio... prefere um bom parque e o Sol! 

- Cria novas formas de consumo: procura frutas e legumes de produtor ou de mercados e de preferência de época que são mais baratos e a qualidade será melhor, prefere uma peça de roupa de mais qualidade (e atenção que isso não significa sempre mais cara) e que te durará mais tempo a 3 ou 4 que estão condenadas a estragar-se na primeira lavagem, adapta-te às tuas necessidades (se compras mais ao Kg pagarás mais do que se comprares menos mesmo que o Kg seja mais caro), questiona promoções, saldos e outras campanhas de marketing! 

- Pensa em opções mais económicas, e que te permitam aproveitar o mesmo ou ainda mais, para as tuas actividades : aproveita o Sol e faz um piquenique em vez de ires expor-te na esplanada da praia sempre que te apetece apanhar um bocadinho de Sol. 

- Faz o máximo de pagamentos possíveis em dinheiro e evita o cartão. O dinheiro "físico" é mais fácil de "ver" logo mais fácil de gerir! 

- Desliga-te um bocadinho da ideia do "não posso ter isto ou aquilo" põe-te simplesmente a questão "faz-me mesmo falta? preciso mesmo disto?"

- Pensa em objetivos reais para as tuas poupanças e dá-te prazer de vez em quando. Não é melhor poder ir àquele restaurante onde queremos mesmo ir do que comer 2 ou 3 vezes no mês no Mc********?! Queremos melhorar as nossas finanças sim mas frustrações e poupanças sem fins não nos servem para nada!

Espero que este post vos tenha agradado e aguardo o vosso feedback! É bom "ouvir-vos" desse lado! 

Um grande beijinho! 

Margarida

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D