Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Arte da Simplicidade

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

A Arte da Simplicidade

31
Jul17

Vantagens e Desvantagens de viver sozinha!


Margarida

Ter a experiência de "viver sozinha" era algo que ambicionava desde que acabei a universidade.

Tive um grupo de colegas extraordinárias nessa época e podemos orgulhar-nos de tudo ter corrido bem durante 4 anos coordenando estudos, noites de sono e de festa e banhos de manhã vivendo a 5 dentro de um apartamento minúsculo, com dois quartos e uma única casa de banho! É obra, meus caros! 

Depois disso, e por razões que só a razão desconhece, voltei à casa que me viu nascer. Recuperei o meu quarto (onde só dormia eu, logo só aí já ganhei um pouco mais de espaço) mas ,apesar da compreensão da parte dos meus pais, senti este "regresso a casa" como um retrocesso, uma espécie de "perda de liberdade". E o bichinho continuo lá dentro: queria ser independente... 

Com a vinda para França partilhei casa com uma colega portuguesa. Correu tudo lindamente, ganhámos muitas histórias para contar, aprendemos a gerir coisas, montámos móveis, partilhámos coisas, acumulámos experiência e sempre me senti em casa... naquela casa onde já haviam algumas coisas que eram minhas, que tinha pago com o meu dinheiro, como uma menina grande! 

Com a mudança de cidade, o "ter uma casa só minha" tornou-se inevitável, e também uma certa exigência. E se gosto desta minha casa: decorada por mim, com coisas com as quais me identifico. É luminosa, numa zona relativamente calma, com um parque ao lado e a 5 minutos a pé do hospital (se soubessem o jeito que dá, sobretudo à noite...). Sinto-me mesmo muito bem neste pequeno apartamento que me acolhe de cada vez que abro a porta de casa. 

Neste momento, ao fim de um ano e meio na "minha casa", estou em condições de vos apresentar algumas vantagens e desvantagens desta história de ser o único habitante da casa. 

 

As Vantagens: 

- Podes perfumar a casa ou cozinhar o que queres sem reclamações quanto aos cheiros; 

- Tens o direito de comer onde e quando queres, como queres e sem horários restritos; 

- Levasta-te e deitas-te à hora que te apetece sem comentários do tipo "já te vais deitar?" ou "ainda é cedo"; 

- O barulho começa de manhã ou à noite conforme te apeteça, só não exageres por causa dos vizinhos; 

- Qualquer assunto relacionado com decoração, limpeza e organização só te dizem respeito a ti; 

- No final do mês só pagas os teus esquecimentos de água a correr e de luz acesa; 

- Não tens de coordenar as horas de levantar, tomar banho e cozinhar com ninguém; 

- Estar às escuras ou com as luzes todas acessas, ouvir música no máximo ou estar em silêncio são tudo pequenas coisas que estás à vontade para fazer

- Tens o direito de passar os fins de semana deitada no sofá a ler sem ouvir o barulho de uma mosca; 

- Podes vestir-te como quiseres em casa. Até podes estar despida se te apetecer...

- Se te apetecer desligar o telefone e a net estás à vontade. Ninguém te importunará... a não ser o correio que vêm sempre a horas impróprias; 

- Podes convidar quem quiseres a vir a tua casa sem teres de chegar a acordo com outra pessoa e podes também chegar a casa à hora que te apetecer sem dar justificações a ninguém. É que mesmo uma colega de casa fica inquieta se chegares tarde e não avisares; 

- Podes seguir as séries todas que quiseres, e as fofocas das revistas também; 

- Os rituais de beleza mais estapafúrdios estaram à tua disposição; 

 

As Desvantagens: 

- Todas as despesas são por tua conta: renda, água, luz, gás, comida, bebida, decoração...; 

- Acabas por comer muitas vezes em frente ao computador ou à televisão para não te sentires sozinha a jantar (pessoalmente faço um esforço enorme mas consigo pôr a mesa e sentar-me a jantar na cozinha); 

- Em dias mais stressantes, ou cansativos, o jantar acaba por ficar em segundo plano; 

- Se chegares a casa demasiado triste não tens ninguém que te puxe para cima, se chegares demasiado eufórica ninguém te chamará "à terra"; 

- O computador e o telemóvel acabam por ser a tua maior companhia;

- Os amigos não estão sempre em nossa casa, nem nós em casa deles, e isso faz com que o nosso maravilhoso sofá ou a nossa varanda não sejam locais tão conviviais como pareciam ao início; 

- O silêncio é agradável mas pode tornar as noites e os dias muito longos, especialmente se não for bem gerido! 

- As tarefas domésticas são feitas apenas por um e o transporte dos sacos das compras também... A vantagem está em que te pouparás a discussão por causa do tampo da sanita!

E esta é a minha lista de vantagens e desvantagens de viver sozinho! Apesar de, às vezes, acusar as noites demasiado longas o silêncio não me pesa muito e aprendi a apreciar a minha própria companhia, o que por si só é uma grande vitória! 

E vocês, qual a vossa experiência? Viver sozinho ou não? E se sim, qual a vossa impressão?

Um grande beijinho e aguardo as vossas respostas! 

Margarida

 

 

 

 

18
Mai17

Ainda Sobre o Dia Internacional da Família!


Margarida

Na passada Segunda-Feira foi comemorado o Dia Internacional da Família e eu, como "familidependente" que sou, não podia deixar de vos falar um bocadinho nesta instituição que nos dá tanta coisa! 

Quando penso em família penso no sentido "alargado" da mesma. Apesar de poder estar grata por não ser o meu caso sei que existem membros da família que, por uma razão ou outra, se distânciam e se demitem da função de pai, mãe, irmão, filho, neto... que têm.

Mas o que importa é que há alguém de dentro do núcleo que nos amou, que nos educou e que nos permitiu sermos quem somos e são por esses que restaram, que amaram e que cuidaram que vos trago este post com alguns "lembretes" de como lidar com a família (mesmo que nem sempre seja tarefa fácil)! 

- Manter Contacto: Nem sempre é fácil, com o rang-rang do dia a dia, de manter a nossa família "por perto", especialmente quando estamos longe. O ideal será criar uma rotina de comunicação para que nos possamos manter a par das novidades uns dos outros. Outro ponto importante será nao esquecer das datas importantes: Natal, Páscoa, aniversários ou aniversários de casamento e relembra-las com uma pequena mensagem de felicitações personalizada (esqueçam lá o facebook e os sms) como um telefonema, uma videochamada, um video comemorativo preparado para a ocasião e enviado por e-mail ou, porque não, uma carta postal! 

- Recuperar a tradição do "Almoço de Domingo": A minha avó juntou, desde que me lembro, toda a família à volta da mesa aos Domingos e é esta "tradição familiar" uma das que lhe é mais querida e que, com 80 anos, se recusa a deixar morrer. Não vos digo para almoçarem todos juntos todas as semanas mas e se for uma vez por mês, ou pelo menos uma vez de vez em quando sem ser em épocas tradicionais?! E deixa lá de lado a ideia de fazer "frete"... vai de coração aberto e verás que voltarás para casa mais rica do que saiste.. e será muito mais divertido ir conhecendo os primos melhor antes dos enormes (e cheios de protocolos) jantares de Natal ou Almoço de Páscoa! 

- Cultiva a paciência: Todos nós tivemos alguns momentos na adolescência em que a família era o "inimigo público n.º1) e, sabe-se lá porque, esse facto perdura na idade adulta. Seja por diferenças de opinião ou de estilo de vida desentendemo-nos algumas vezes com os nossos pais, especialmente quando eles acham que o que dizem é "definitivamente o melhor para ti". Nesse momento, respira fundo e lembra-te que as pessoas que estão à tua frente são aquelas que te permitem ser quem és. Se achas importante relembra-lhes, sem julgamento, que compreendes a opinião deles mas que é um assunto com o qual gostarias de lidar sozinho. Eles podem ficar magoados mas mais vale um amuo de passagem rápida a uma grande disputa mais tarde. 

- Não os julgues: Ouvimos muitas vezes opiniões e comentários dos mais velhos que nos põem os cabelos em pé. És livre de deixar bem claro qual a tua opinião mas não entres no conflito afinal a experiência de vida e as oportunidades não foram as mesmas nas várias gerações. 

- Divirtam-se juntos: Sim é possível divertires-te em família com os teus pais, irmãos ou sobrinhos! E bastante! 

- Aproveita cada momento como se fosse o último: Vive cada momento ao máximo! Nunca se sabe quando a vida nos pregará uma partida... 

Espero que este post vos tenha agradado! Acho sempre importante lembrar a importância que a família têm na nossa vida, mesmo quando estamos longe, quando crescemos ou quando começamos nós mesmos a formar a nossa família! 

Aproveito também para vos agradecer a todos e a cada um o número de seguidores que este blogue conseguiu em tão pouco tempo de vida e convido-vos a juntarem-se a nós também nas redes sociais: facebook e instagram! Gratidão a todos vós!

Margarida

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D