Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Arte da Simplicidade

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

A Arte da Simplicidade

15
Ago17

Cuidar do Rosto: A Massagem!


Margarida

Desde que comecei este blogue que vos falo de rituais de beleza naturais, como é o caso do Layering, e da consequente utilização de óleos vegetais para desmaquilhar e hidratar o rosto.  

Uma das fases "xuxus" da minha rotina diária, especialmente antes de ir dormir, é a aplicação de um óleo vegetal, que no meu caso é o de jojoba. Relembro-vos que este óleo é perfeito para as peles com tendência a oleosas como a minha. 

E agora dizem vocês: "Mas Margarida utilizar óleo sobre a pele oleosa vai aumentar as borbulhas/ o acne/ vai entupir os poros"... etc, etc! E eu respondo-vos: não faz nada disso! Juro que pensava como vocês até ter experimentado! 

O meu segredo?! Uma boa aplicação do óleo. Ora vejamos: 

Passo n.º 1: Colocar nas mãos o equivalente a 3 gotas de óleo e aquece-lo entre as mãos para permitir uma melhor penetração.

Passo n.º 2: Utilizar as palmas das mãos inteiras para a aplicação do óleo. Os movimentos devem ser do tipo "effleurage", ou seja uma massagem de deslizamento muito suave.

Passo n.º 3: Massage do interior para o exterior e depois no sentido das orelhas e do pescoço. A duração da massagem deve ser de 3 minutos mínimo! O segredo colocar uma música calma para controlar o tempo pois 3 minutos pode ser longo... 

E são estes os passos essenciais para conseguir uma aplicação eficaz dos óleos essenciais. Para que a visualização seja mais fácil deixo-vos um vídeo de Julien Kaibeck que vos permitirá perceber melhor a aplicação do vídeo (falado em francês): 

E vocês, já pensaram em experimentar a utilização de um óleo puro sobre o rosto? Independentemente do vosso tipo de hidratante fazem massagem no rosto? Aguardo os vossos comentários e os vossos likes na página de Facebook e no Instagram do blogue! 

Até breve!

Margarida

 

Fonte: "Adoptez la slow cosmetique" de Julien Kaybeck

Site: www.lessentieldejulien.com/

 

10
Ago17

"Temos de mudar o Mundo, não os nossos corpos"


Margarida

Vivemos numa era onde a imagem, seja da mulher ou do homem, têm de ser perfeita. Somos quase obrigados a ser jovens, magros, a levantarmo-nos de manhã impecáveis e a manter a frescura durante todo o dia, mesmo se o dia estiver a ser horrível. 

Quantas vezes, quando éramos jovens, nos remarcavam o nossos defeitos?! "ai és tão gorda", "ai estás tão magrinho", "ai tens tanto acne...", "ai os teus dentes não estão brancos, tens de os lavar melhor". E isso, por muito que tenha sido dito com a melhor das intenções criou-nos, quer queiramos quer não, um certo mal estar em relação ao nosso corpo. 

Com a chegada da adolescência então começa o descalabro: é o não querer ir à praia para não ser visto em fato de banho, é o submetermo-nos desde cedo à pressão de estar sempre perfeita, maquilhada, perfumada e com a depilação feita. É o usar "aquela roupa" porque é a "da moda" e não aquela que nos deixa mais confortáveis... Revêem-se nisto? Eu sim... E é por tudo isto que o movimento "Body Positive" entrou na minha vida. Pela necessidade de nos aceitarmos como somos independentemente dos nossos corpos. 

O Body Positive, ou "Body Posi" é um movimento nascido em 1996 nos EUA e que pretende, desde o início, incentivar as mulheres a aceitarem-se a si e aos seus corpos como são. 

Inicialmente criado pela irmã de uma jovem bulímica, esta organização pretende espalhar a sua doutrina do: "temos de mudar o Mundo não os nossos corpos". E se o movimento tem ganhado muitos adeptos o instagram têm sido uma enorme ferramenta de difusão. 

Sem entrar em detalhes sobre a alimentação a defesa de que uma pessoa "gorda" está necessariamente doente e que uma pessoa atlética é necessariamente saudável é um dos estigmas que o grupo quer abulir.

Sem no entanto deixar de salientar que a obesidade é má para a saúde mas não se pode tirar a essa pessoa o direito de amar o seu corpo, assim como ao contrário. Afinal quantas de nós fazemos dieta para sermos "magras" e vemos "magras" a fazerem o percurso inverso porque querem ter "mais algumas curvas"?!  

Também a evolução do movimento têm sido enorme ao longo do tempo. Se inicialmente estava apenas virada para a gordura/magreza, hoje em dia a aceitação do corpo da "Mulher Imperfeita" que não têm de esconder as imperfeições da sua pele, que não têm de ter vergonha das estrias que ganhou com a gravidez nem da celulite que é quase uma tortura para todas nós e que nem tem de se submeter a processos dolorosos como a depilação se assim o entender. Também a aceitação do corpo da pessoa doente, como uma mulher que sofreu uma remoção mamária pós cancro é bastante difundida por este meio. 

Outro dos mantras do movimento é que "Não há nenhum modelo de mulher superior a outro" e, sendo assim, qualquer mulher é bem vinda como é! Também os homens, sobretudo no instagram, alinham nesta onda de revolta contra os preconceitos de beleza pois, também eles têm sentido o peso da "importância do corpo" nas suas vidas. 

São muitas as figuras públicas que já demonstraram o seu apoio a esta causa, destacando-se entre outras as cantoras Alicia Keys e Madonna. 

E vocês? Como se sentem em relação aos vossos corpos? Só vêm defeitos ou amam-se como são? Fazem alguma coisa ou usam alguma coisa apenas porque a sociedade vos "exige"? Aguardo ansiosamente os vossos feedbacks. 

Convido-vos também, se gostaram deste post, a aderir ao #BodyPositive no Instagram e, na volta, também ao "Margarida- Arte da Simplicidade"

Margarida

 

 

 

31
Jul17

Vantagens e Desvantagens de viver sozinha!


Margarida

Ter a experiência de "viver sozinha" era algo que ambicionava desde que acabei a universidade.

Tive um grupo de colegas extraordinárias nessa época e podemos orgulhar-nos de tudo ter corrido bem durante 4 anos coordenando estudos, noites de sono e de festa e banhos de manhã vivendo a 5 dentro de um apartamento minúsculo, com dois quartos e uma única casa de banho! É obra, meus caros! 

Depois disso, e por razões que só a razão desconhece, voltei à casa que me viu nascer. Recuperei o meu quarto (onde só dormia eu, logo só aí já ganhei um pouco mais de espaço) mas ,apesar da compreensão da parte dos meus pais, senti este "regresso a casa" como um retrocesso, uma espécie de "perda de liberdade". E o bichinho continuo lá dentro: queria ser independente... 

Com a vinda para França partilhei casa com uma colega portuguesa. Correu tudo lindamente, ganhámos muitas histórias para contar, aprendemos a gerir coisas, montámos móveis, partilhámos coisas, acumulámos experiência e sempre me senti em casa... naquela casa onde já haviam algumas coisas que eram minhas, que tinha pago com o meu dinheiro, como uma menina grande! 

Com a mudança de cidade, o "ter uma casa só minha" tornou-se inevitável, e também uma certa exigência. E se gosto desta minha casa: decorada por mim, com coisas com as quais me identifico. É luminosa, numa zona relativamente calma, com um parque ao lado e a 5 minutos a pé do hospital (se soubessem o jeito que dá, sobretudo à noite...). Sinto-me mesmo muito bem neste pequeno apartamento que me acolhe de cada vez que abro a porta de casa. 

Neste momento, ao fim de um ano e meio na "minha casa", estou em condições de vos apresentar algumas vantagens e desvantagens desta história de ser o único habitante da casa. 

 

As Vantagens: 

- Podes perfumar a casa ou cozinhar o que queres sem reclamações quanto aos cheiros; 

- Tens o direito de comer onde e quando queres, como queres e sem horários restritos; 

- Levasta-te e deitas-te à hora que te apetece sem comentários do tipo "já te vais deitar?" ou "ainda é cedo"; 

- O barulho começa de manhã ou à noite conforme te apeteça, só não exageres por causa dos vizinhos; 

- Qualquer assunto relacionado com decoração, limpeza e organização só te dizem respeito a ti; 

- No final do mês só pagas os teus esquecimentos de água a correr e de luz acesa; 

- Não tens de coordenar as horas de levantar, tomar banho e cozinhar com ninguém; 

- Estar às escuras ou com as luzes todas acessas, ouvir música no máximo ou estar em silêncio são tudo pequenas coisas que estás à vontade para fazer

- Tens o direito de passar os fins de semana deitada no sofá a ler sem ouvir o barulho de uma mosca; 

- Podes vestir-te como quiseres em casa. Até podes estar despida se te apetecer...

- Se te apetecer desligar o telefone e a net estás à vontade. Ninguém te importunará... a não ser o correio que vêm sempre a horas impróprias; 

- Podes convidar quem quiseres a vir a tua casa sem teres de chegar a acordo com outra pessoa e podes também chegar a casa à hora que te apetecer sem dar justificações a ninguém. É que mesmo uma colega de casa fica inquieta se chegares tarde e não avisares; 

- Podes seguir as séries todas que quiseres, e as fofocas das revistas também; 

- Os rituais de beleza mais estapafúrdios estaram à tua disposição; 

 

As Desvantagens: 

- Todas as despesas são por tua conta: renda, água, luz, gás, comida, bebida, decoração...; 

- Acabas por comer muitas vezes em frente ao computador ou à televisão para não te sentires sozinha a jantar (pessoalmente faço um esforço enorme mas consigo pôr a mesa e sentar-me a jantar na cozinha); 

- Em dias mais stressantes, ou cansativos, o jantar acaba por ficar em segundo plano; 

- Se chegares a casa demasiado triste não tens ninguém que te puxe para cima, se chegares demasiado eufórica ninguém te chamará "à terra"; 

- O computador e o telemóvel acabam por ser a tua maior companhia;

- Os amigos não estão sempre em nossa casa, nem nós em casa deles, e isso faz com que o nosso maravilhoso sofá ou a nossa varanda não sejam locais tão conviviais como pareciam ao início; 

- O silêncio é agradável mas pode tornar as noites e os dias muito longos, especialmente se não for bem gerido! 

- As tarefas domésticas são feitas apenas por um e o transporte dos sacos das compras também... A vantagem está em que te pouparás a discussão por causa do tampo da sanita!

E esta é a minha lista de vantagens e desvantagens de viver sozinho! Apesar de, às vezes, acusar as noites demasiado longas o silêncio não me pesa muito e aprendi a apreciar a minha própria companhia, o que por si só é uma grande vitória! 

E vocês, qual a vossa experiência? Viver sozinho ou não? E se sim, qual a vossa impressão?

Um grande beijinho e aguardo as vossas respostas! 

Margarida

 

 

 

 

18
Jul17

Esponja de Konjac: uma amiga!


Margarida

Hoje venho falar-vos de uma grande aliada que já faz parte das minhas rotinas de "limpeza de rosto" à algum tempo e, admito, gosto cada vez mais dela: a Esponja de Konjac. 

Esta pequena esponja é perfeita para cuidar da nossa pele do rosto porque permite uma limpeza mais profunda, de origem mecânica (logo recorre menos a produtos químicos e portanto menos poluente) e é reutilizável.

A melhor maneira de utilizar esta pequena esponja é fazendo movimentos giratórios por todo o rosto, sem esquecer a "zona T" para as peles com mais tendências a problemas. Dizem os entendidos que este gesto ajuda a "fechar os poros" e a reduzir a oleosidade. 

Pessoalmente uso a minha esponjinha de konjac de manhã e à noite, seja para retirar os restos de sabonete seja para retirar o que resta do meu desmaquilhante.

A única coisa a ter em conta é que ela esteja bem húmida ao momento em que a utilizamos, se assim for a sua utilização é extremamente confortável e os resultados são bastante satisfatórios. A esponja deve ser limpa após cada utilização.

E vocês conhecem a "esponja de Konjac"? Já utilizaram? O que acham? Fico à espera de notícias vossas!

Margarida 

 

02
Jul17

Vamos falar de tempo livre! Uma necessidade ou um luxo?


Margarida

Uma amiga comentava comigo que deixou um trabalho que tinha a mais do seu "horário laboral". Segundo ela o projeto que era inicialmente "pequeno" e que lhe ocupava apenas uma noite por semana cresceu e passou a passar quatro noites por semana fora de casa não tendo assim tempo nem para a família, nem para o namorado, nem para os amigos e, para não lhes faltar a eles todos, acabou por se esquecer do que era cuidar dela própria. 

As suas hesitações foram muitas: se de um lado o dinheiro lhe dava jeito mesmo que não precise dele para comer, do outro está toda uma sociedade que nos diz "trabalha cada vez mais porque tens a sorte de ter trabalho e há muita gente que quer e não tem". E com o passar do tempo aquele "tempo extra" que até lhe dava gozo e num projeto que ajudou a construir estava a tornar-se num peso e numa fonte de preocupações e inquietude e onde já ninguém se sentia totalmente satisfeito. 

Com o seu desabafo lembrei-me do meu próprio percurso. Como já vos disse em alguns posts anteriores eu própria sofri de "burn-out" e ansiedade numa determinada fase da minha vida. Fui medicada para esse efeito e, apesar da fraca dose de antidepressivos e calmantes, só consegui deixá-los completamente à cerca de 2 meses.

Ninguém é, nem nunca foi, culpado pelo meu estado de saúde que foi fruto essencialmente de horas e horas de trabalho, num emprego que não me dava prazer nenhum (apesar de fazer "aquilo" para que supostamente tinha estudado), ainda mais horas para fazer uns domicílios para aumentar ligeiramente o salário que era baixo, bem baixo para as minhas habilitações académicas e passar os fins de semana a tentar recuperar das horas de sono e do cansaço acumulado.

O tempo fugia-me por entre os dedos e com ele todas as actividades que gostava de fazer. Deixei primeiro de ter tempo para mim e depois para os outros. E quando assim foi o caos instalou-se. E demorou a que conseguisse por tudo em ordem tendo para isso que procurar um novo emprego e, como não o consegui em Portugal, fí-lo noutro pais. 

Hoje posso dizer que tenho tempo para tudo, mesmo com noites, fins de semana e feriados a trabalhar. Continuo a passar muitas horas no hospital mas aprendi a comandar o botão "on/off" e a organizar-me. Se esta semana trabalho sete dias e uma noite vou fazer os possíveis por, na semana seguinte faço o possível por ter um horário "normal" e guardar uma noite para mim própria e dar atenção aqueles de quem gosto pois nada nem ninguém

Dedico o meu tempo livre a cuidar de mim, dos que amo, mesmo daqueles que estão longe. 

Cozinho, medito, passeio no parque ao lado de casa... e nem por um minuto me sinto culpada, como já senti, pelo tempo em que "não faço nada"... 

Percebi que é esse mesmo tempo que nos permite aumentar a nossa produtividade, a nossa capacidade de gestão do stress e encontrar o tão desejado equilibrio entre vida pessoal, familiar e profissional. 

Para mim tempo livre é uma necessidade e, perante o comentário daquela amiga ou de qualquer outra pessoa neste Mundo o meu conselho dificilmente não será o mesmo: "ter dinheiro é importante, e infelizmente há quem tenha de trabalhar como doido para conseguir um ordenado para sustentar a casa e a família, mas se for possível encontrar um equílibrio e estar presente e activo na nossa própria vida e na daqueles de quem gostamos é algo que não há dinheiro nenhum que pague". Portanto para mim tempo livre, mesmo que seja pouco mas que seja de qualidade é, e será sempre uma necessidade. 

E para vocês o que significa tempo livre: é um luxo ou uma necessidade?

 

 

22
Jun17

Queres ser mais autoconfiante? 8 ensinamentos para o conseguir!


Margarida

Em língua portuguesa "autoconfiança" significa segurança em relação às suas capacidades, poder e dignidade em determinado momento.

Alguém que é autoconfiante é alguém que se conhece bem, que nutre um grande respeito por si mesmo e pelas suas capacidades e transpira serenidade, tranquilidade e amor-próprio.

Se existem pessoas que são autoconfiantes desde sempre, existem aquelas que precisam de se conhecer, de se encontrar e de se preparar para transmitirem aos outros, e a elas mesmas, essa mesma confiança. 

Não é um caminho que se faça de um dia para o outro isso é certo. Teremos etapas complicadas mas o resultado será, sem dúvida, maravilhoso! 

Vamos, todos juntos, colocar mãos à obra? Então aqui vos deixo 8 dicas para melhorar a autoconfiança e autoestima e se sentir melhor na sua pele! 

  • Se não te sentes bem na tua pele faz alguma coisa por ti mesmo! Ninguém consegue nada sem esforço. Levanta o rabo do sofá e vai sem medo!

 

  • Conhece-te e aceita-te como és! Se te conheceres bem saberás exatamente como e quando vais reagir e a tua confiança e autocontrolo aumentarão. Se tiveres dificuldades a fazer essa auto-avaliação deixo-te um pequeno exercício: pega num papel numa caneta e anota, a titulo de exemplo, os pontos seguintes: 
    • As tuas fraquezas e as tuas forças; 
    • As tuas paixões e aquilo que detestas;
    • As coisas (grandes ou pequenas) que conseguiste; 
    • Os teus sonhos, os teus medos; 
    • As tuas inseguranças. 

Pega nesta mesma lista todos os meses e faz um pequeno "ponto de situação". Verás que há coisas que mudam ou evoluiram dependendo da fase da tua vida em que te encontras, dos acontecimentos, do estado de espírito e das experiências vividas. Somos seres que estão em constante mudança. Aceita isso! 

  • Aceita que a opinião dos outros não é universal. Quantas vezes ouvimos um grupo de amigos a falar sobre uma pessoa: enquanto A diz que essa pessoa é antipática, B reconhecerá as suas qualidades físicas e C que a pessoa passa por alguns problemas e que é preciso ser-se tolerante. No final o grupo fará o seu próprio julgamento da pessoa em função de todos os seus membros e a opinião dos membros será influênciada pela opinião do grupo. Desta forma achas mesmo importante dar ouvidos aos julgamentos dos outros sabendo que eles são influênciados pela sua vida, pela sua experiência e pelas suas crenças e nunca baseado em raciocínios lógicos?

 

  • Cuida de ti. Em tempos idos uma amiga custumava comentar que, sempre que me arranjava ou "perdia" algum tempo a cuidar de mim passava uma imagem de grande autoconfiança. E é um facto que, sempre que tomamos conta de nós mesmo, que nos cuidamos e que nos apresentamos no nosso melhor a nossa segurança em nós mesmos aumentará portanto cuida de ti e mima-te muito. Tu mereces!

  • Não te culpes por tudo e por nada! Quantas vezes procuramos levar com as culpas daquilo que não podemos mudar? E quantas outras vezes procuras nos outros uma acusação contra ti próprio para aquilo que correu mal? A resposta deste lado é: muitas! No entanto, em consciência sabemos que há coisas contra as quais não podemos lutar sendo ou não a melhor pessoa ou profissional do Mundo. Não procures culpabilizar-te pelo que correu mal e, se efetivamente erraste, aprende a perdoar-te! Só assim poderás fazer confiança a ti mesmo!

 

 

  • Aceita que és muito mais do que pensas! Não és apenas um corpo com uns quilinhos a mais ou uma pessoa descontente com o seu trabalho. Essas coisas fazem parte das características do teu dia a dia mas não te definem enquanto pessoa. Se aceitarem que aquilo que fazes não é aquilo que és só terás a ganhar e a crescer como pessoa!

  • Olha, de uma forma realista, o teu corpo! Somos muitos a seguir contas de yoga e de fitness nas redes sociais e todos nós sonhamos ter "aquele corpo de sonho" e não aquela barriga ou aquelas coxas que temos. No entanto, lembra-te de uma coisa: metade das pessoas que postam sobre fitness nas redes sociais vivem para isso enquanto tu tens um emprego, uma casa, uma família e outras 1500 coisas a gerir no espaço mínimo de 24h. Se mesmo assim continuas a não te sentir bem com o teu corpo faz um balanço entre o que não gostas e mudavas em dois tempos e o que gostas e não mudavas por nada. De certeza que acabarás por encontrar um equilibrio e razões para gostar muito de ti!   

  • Introduz a bondade e a gratidão na tua vida. Se a bondade encher os teus olhos em relação a ti mesmo e em relação aos outros e a gratidão te invadir em cada pequeno acontecimento bom terás todas as razões do Mundo para aumentares e muito a tua confiança em ti mesmo. 

 

 

15
Jun17

Os Indispensáveis de Verão


Margarida

O Sol e o Calor estão aí e com ele aproveitar a praia, a piscina os amigos e a natureza estão na ordem do dia! Desta forma, e como o Verão significa bem-estar, equilíbrio e bronze partilho convosco os meus "indispensáveis slow" para este Verão! 

  • Indispensáveis de Beleza:

Praia e Piscina rimam com bronze e um bom bronze só se consegue com uma pele cuidada. Desta forma um dos meus "produtos de Verão" é sem dúvida o Óleo de Cenoura que é rico em Vitamina A e Betacaroteno é hidratante, anti-oxidante, anti-aging e ainda pode dar uma aura ligeiramente dourada à pele.

Uma das muitas utilizações que dou a este óleo é na composição dos esfoliantes que preparo em casa: ou com açucar (permite uma esfoliação muito suave e muito barata) ou com borra de café (que contém inúmeros ingredientes ricos para a pele). De entre as inúmeras vantagens destes esfoliantes é que são baratos, biodegradáveis e não contém produtos "menos bons" para a pele. 

A última dica de beleza passa pela utilização de protetor solar. E não só na praia mas sempre que apanhar Sol que é sempre que sai de casa. O ideal será usar uma proteção alta que previne a pele dos malefícios dos raios solares e do envelhecimento precoce. Pessoalmente, e apesar de todos os produtos menos saudáveis que compõe os protetores solares do comercio convencional ainda não tive a oportunidade de comprar um protetor solar de origem biológica e natural que me convença apesar da oferta ter crescido muito nestes últimos tempo.  

  •  Indispensáveis na Alimentação: 

O Verão é rico em frutas e legumes de época que são uma verdadeira delícia portanto nada melhor do que investigar junto dos produtores locais o que têm para oferecer e deliciar-se com saladas, frutas e sumos naturais com o melhor que Natureza têm para nos oferecer nesta época. A tua pele, o teu corpo e o teu humor agradecem! 

Fazer os teus próprios gelados, smothies ou milkshakes caseiros! Vai fazer bem ao teu humor e saberás exatamente o que comes com todos os benefícios que daí advém! E sem açúcar adicionado! 

A hidratação é fundamental para o nosso corpo e nesta época é absolutamente indispensável! Evita as bebidas açucaradas e alcoólicas (ok, um cocktail de vez em quando não faz ninguém morrer) e opta pela água, pelos chás e tisanas frias e pelos sumos naturais ou águas aromatizadas sem açúcar adicionado. 

  • Indispensáveis no dia-a-dia: 

Roupas ligeiras, vestidos leves de cores alegres e claras. Acredito muito no poder das cores e o Verão é a altura ideal para trazer toda a tua energia e boa vibe para ti! 

Verão combina com amigos, família e passeatas ao ar livre. Abandona a Internet e as redes sociais e cria a tua própria rede social onde podes tocar, abraçar e sentir o cheiro daqueles que amas e que estão à tua volta! 

Nesta época do ano é também uma boa altura para começar a "deixar para trás" aquilo que nos chateia e desmotiva. Aproveita a predisposição que tens devido ao bom tempo e aos grandes dias e começa a criar novos hábitos de bem estar físico e psíquico para aguentar os meses de Inverno e deixares o stress de fora da tua vida e opções não te faltam: Yoga nos parques, atividades físicas diversas ao ar livre, tempo para ler sobre temas que possam ajudar a melhorar a tua vida e vontade de aprender qualquer coisa nova podem dar origem a "escapes" que te darão prazer e te permitiram de deixar o stress longe de ti para o resto do ano! 

Espero que este artigo tenha sido do vosso agrado! Pessoalmente deu-me muito gozo escreve-lo sabendo que vejo no Verão o bom momento para fazer mudanças e se encher de positivismo e motivação! 

Não deixem de por gosto ou de comentar este post caso tenham gostado e aproveitem o melhor que o bom tempo têm para vos oferecer!  

Margarida

 

Fontes do artigo: 

http:ecycle.com.br

"Adoptez la slow cosméthique" de Julien Kebeck

Imagens: google imagens 

 

04
Jun17

10 Regras de Ouro para Viver em Paz... com os colegas de trabalho!


Margarida

Podemos escolher muita coisa na nossa vida... no entanto "colegas de trabalho" não (e é verdade que por vezes dava jeito). 

Seja por nos fazerem a vida negra, por serem péssimos profissionais ou porque pura e simplesmente temos dificuldade em aguentar os seus pontos de vida quem nunca se viu com vontade de fugir de um emprego à conta deles? 

Ao longo da minha (ainda curta) carreira profissional lidei com equipas difíceis e com pessoas difíceis e se me chateei muitas vezes, hoje percebi que prefiro ter paz e deixar o assunto completamente para trás: pelo meu bem, pelo meu trabalho e sobretudo pela qualidade dos meus dias! 

Aqui vos deixo "10 Regras de Ouro" que eu tento por em prática dia após dia (mesmo que as falhe muitas vezes e que passe a vida a repreender-me a mim mesma por isso) para tornar a minha vida, e a daqueles que vivem comigo, mais feliz e completa: mesmo com colegas de trabalho difíceis. 

Regra de Ouro n.º 1: Lembra-te que não estás no trabalho para fazer amigos! 

Quem nunca sonhou ter a melhor amiga na equipa de trabalho, como uma produção televisiva muito ao jeito de Meredith Grey e Cristina Yang em Grey's Anatomy?! Infelizmente não é fácil criar verdadeiras relações de amizade no local de trabalho: seja por competitividade ou por discrepâncias de opinião. Não sendo no entanto impossível (eu sou uma felizarda que fez alguns bons amigos entre os meus colegas de trabalho) não deixes de te manter disponível mas realista: os pontos de vista e as escolhas pessoais podem tornar essas amizades complicadas sem contar que, muitas vezes, pode ser a curiosidade e não o verdadeiro interesse que movem a outra pessoa. 

 

Regra de Ouro n.º2: Guarda a tua vida pessoal para ti (dentro do possível)!

Evita fazer comentários sobre a tua vida pessoal ou familiar no local de trabalho, mesmo durante as horas de almoço ou de pausa. Estás lá para trabalhar não para participar em consultas de psicologia e não vais sentir-te bem se a tua história for debatida por várias pessoas, pois não?! Se a questão pessoal for uma pergunta directa e não conseguires simplesmente não responder fá-lo de uma forma simpática mas vaga e que não dê margem a comentários maldosos por trás!

 

Regra de Ouro n.º 3: Foge a 7 Pés de quem vêm constantemente fazer-te queixas

Para além de serem pessoas do tipo "tóxicas" que nos esgotam a energia e o bom humor arriscamo-nos também a perceber que são verdadeiros "vai-e-vem" de queixas e que a única pessoa "boa" no meio daquilo tudo é ela mesma! Utilizando uma frase de uma grande amiga minha: "nas costas dos outros vejo as minhas"!

 

Regra de Ouro n.º 4: Sê como tu... mas mantém a compostura! 

Festas com colegas de trabalho, happy hours e outros que tais são bons para manter a união entre a equipa: Inquestionável! Mesmo que os teus colegas não sejam os mais fofos do Mundo apresenta-te a essas pequenas reuniões informais mas, no entanto, não caias em excessos nem em exageros. Sê tu mesmo e diverte-te mas deixa as fotos comprometedoras, as roupas demasiado chamativas (se não fazem parte do teu look habitual quando vais trabalhar) e os copos a mais para noites em que estás segura e rodeada por "verdadeiros" amigos. Com os colegas de trabalho, mesmo que a relação seja boa, mantém sempre alguma descrição afinal, se alguma coisa correr mal, terás de lidar com "piadolas" e "sorrisinhos" no dia a seguir... 

 

Regra de Ouro n.º 5: A minha avô teve sempre uma máxima que guiava a sua relação com as vizinhas: "evitar a todo o custo andar em casa desta e daquela".

Se um colega de trabalho, por nada ou coisa nenhuma, te convida para ir a sua casa beber um copo e discutir seja aquilo que for: foge! Assuntos de trabalho devem ser discutidos no trabalho e se há tanto segredo a coisa é de desconfiar. Caso contrário, se a intenção for a melhor e se o objetivo for realmente conhecerem-se melhor e criarem uma boa parceria/amizade o ideal será combinar qualquer coisa num sítio neutro para os dois lados.

Ser convidado para casa de alguém significa já uma certa porta aberta para a intimidade da pessoa portanto, quando se fala em relação pessoal / profissional melhor não precipitar e deixar fluir naturalmente!

 

Regra de Ouro n.º 6: Guarda as tuas opiniões e os teus conhecimentos para ti.

Responde ou fala apenas quando te pedirem opinião. Manteres-te discreta permite-te fugir de centros de conflito e, ao mesmo tempo, evitarás comentários e julgamentos maldosos como "está a armar-se", "têm a mania" ou "só fala do que não sabe". 

 

Regra de Ouro n.º 7: Sê assertivo!

Quando tiveres de falar, fala. No entanto opta por escolher uma estratégia de comunicação o mais assertiva possível! Diz o que tens a dizer mas não te esqueças de que, do outro lado, está uma pessoa que merece o máximo respeito do Mundo (sim, sim... mesmo as "más" pessoas o merecem): portanto sê direta, clara, objetiva e, custe o que custar, evita os comentários demasiado pessoais ou agressivos. Podes ser uma "bruxa" na mesma mas ao menos a tua consciência e, todos aqueles que têm dois dedos de testa, saberam quem é digno de respeito! 

 

Regra de Ouro n.º 8: Não entres em grupos de críticas!

Evita entrar em grupos de diz que disse! Se todos falam da ação do chefe ou de um colega ouve mas abstém-te de comentar. Se o assunto for contigo vai ter diretamente com a pessoa em questão e expõe-lhe as tuas razões. Alimentar guerras internas aumenta em 50x a noção dos problemas, baixa a motivação e começamos a não nos investir. E há alguma coisa pior quando temos de passar 8h por dia naquele local com aquelas pessoas?

 

Regra de Ouro n.º 9: Não leves as críticas ou as discordâncias de opinião como algo pessoal, especialmente em alturas tensas para a equipa.

Se mantiveres uma postura profissional os outros serão forçados a tê-la também perante ti! 

 

Regra de Ouro n.º 10: Melhor fazer-se de parva ou de andar a dormir e fazer bem o seu trabalho

...do que ser o elemento mais popular da equipa ou e um alvo a abater por todos os lados! 

 

Atenção que nenhuma destas regras é estanques, elas advém da minha própria experiência não vão fazer da tua vida no teu local de trabalho um mar de rosas mas, pelo menos, proteger-te-ão de alguns dissabores no entanto não te esqueças que em caso algum deves desistir das tuas ambições ou dos teus objetivos para evitar ter problemas com os colegas, eles seram inevitáveis mas, quanto menos implicada do ponto de vista pessoal com a equipa menos essas críticas te vão fazer sofrer e tirar a força e a vontade! 

Espero que este artigo vos tenha agradado. Se sim deixem um pequeno comentário pois tenho mais dois ou três temas sobre "paz" em contexto laboral que gostava de partilhar convosco e que não sei ainda como fazer!

Quanto a mim despeço-me até ao próximo post no blogue e não se esqueçam de fazer like na página de Facebook de "A Arte da Simplicidade" ou seguir-me via instagram! 

Margarida

 

 

17
Abr17

Água Floral de Lavanda: Propriedades e Benefícios


Margarida

Olá a todos caros leitores: espero que a Páscoa tenha sido bem passada, em família e com alguns excessos (mas não muitos). 

Depois do feedback positivo do post sobre o Óleo de Jojoba hoje apresento-vos outro dos produtos que fazem parte da minha rotina já há alguns meses. É um produto querido, fresco e reconfortante e dá pelo nome de Água Floral de Lavanda. 

Uma água floral, que também pode ser chamada de hidrolato, é um produto que provém da destilação do óleo essencial, neste caso o óleo de lavanda, e que mantém as propriedades do óleo com a vantagem de apresentar também os componentes que são mais inertes até à diluíção em água. 

A lavanda, ou Lavendula, vem da palavra do latim lavare que significa purificar e sua espécie mais comum é a Lavendula angistifolia oriunda da região do Mediterrâneo. 

Esta água floral é muito utilizada como ambientador e purificador de ambiente. Também há quem a utilize para pulverizar a roupa da cama antes de dormir isto devido às propriedades calmantes, relaxantes e revigorantes da planta. A sua utilização em crianças é possível uma vez que as suas propriedades estão diluídas e não puras como no caso dos óleos essenciais.

Muito utilizada pela industria cosmética, este produto pode ser utilizado em quase todos os tipos de pele (das oleosas/mistas às sensiveis) pois é um excelente hidratante e tónico facial que reduz a oleosidade, elimina o sebum e equilibra a produção do mesmo. Esta água também pode ser utilizada em casos de acne uma vez que é também um antifúngico natural. Dos seus multiplos benefícios o facto de ser um regenerante natural da pele e de a cuidar e hidratar em situações em que esta esteja mais agredida (exposição solar, pós-depilação) são mais algumas das vantagens do produto.  

A água de lavanda pode também ser utilizada nos cabelos para controlar o frisado, definir os cachos e como regulador de oleosidade. 

As possibilidades de criar os seus próprios produtos cosméticos com este ingrediente são inúmeras e os seus resultados são mais do que óbvios. 

Pessoalmente utilizo o hidrolato de lavanda como líquido para a preparação de máscaras de argila, como um substituto da água micelar na rotina da manhã (passo o algodão e limpo a pele) e como tónico na rotina da noite (borrifo uma ou duas vezes e deixo absorver pela pele). Sinceramente, e mesmo se estou a ponderar lançar-me na descoberta de novos hidrolatos é certo que a lavanda vai ficar no meu coração e na minha sala de banho.

Não se esqueçam de que, para usufruir de todas as propriedades que este produto têm a oferecer, o devem procurar em fórmula biológica.

Espero que tenham gostado do artigo e aguardo impacientemente os vossos comentários.

Margarida 

 

13
Abr17

Criar uma Rotina Matinal para Começar o Dia em Grande


Margarida

Levantar de manhã é, para muitos de nós, uma verdadeira tortura. No meu caso, que até sou do género "madrugadora", torna-se dificil sair da cama em fases de mais stress ou de mais trabalho e isto pode acontecer por diversas razões: ou porque estamos cansados por ter adormecido tarde ou porque o sono não foi suficientemente reparador ou, simplesmente, porque não nos sentimos motivados para começar o dia. 

As consequências desta má disposição matinal vão fazer-se sentir ao longo do dia com a produtividade em baixa e a irritação e o stress em valores muito altos. 

Desta forma deixo-vos aqui algumas ideias para criar uma rotina matinal e, consequentemente, aprender a começar o dia com menos stress e maior boa disposição! 

Levantar mais cedo e não atrasar o despertador! Sim, parece uma loucura dizer isto mas, se nos forçarmos um bocadinho a levantar mais cedo de manhã teremos tempo para acordarmos de uma forma calma, a preparar o nosso café da manhã, a tomar um bom duche e a cuidar de nós e a sair de casa atempadamente, sem correrias! A diminuição do stress é garantida e o conforto na sua própria pele também!

Meditar/Estabelecer objectivos para o dia/semana: Não há necessidade de ir buscar os incensos mas, se ao acordar, nos dermos o tempo de criar um escape nas nossas preocupações e de "esvaziar" um bocadinho a mente começaremos a manhã com muito menos ansiedade. Podemos também aproveitar este momento para estabelecer os nossos objectivos para o dia ou a semana que começa sem se meter a pressão de estabelecer tarefas e datas mas sim de deixar claro que isto terá de estar cumprido. 

Fazer Desporto de Manhã: Esta prática, utilizada por homens e mulheres bem sucedidos, permite-nos começar o dia cheio de energia e relaxar o corpo e a mente. Claro que esta prática pode não ser possível de realizar todos os dias mas, pelo menos, durante o fim de semana e os dias em que temos um bocadinho mais de tempo. 

Inspirar-se: Aproveitar o tempo que ganhamos de manhã para ler, ouvir um programa de rádio ou ver um vídeo podem ser uma excelente forma de se motivar e de se inspirar para o dia que começa! 

E vocês têm alguma rotina matinal que queiram partilhar comigo ou são mais do estilo de atrasar o despertador a cada 10 minutos? Deixem as vossas opiniões nos comentários, ficarei contente de vos ler, assim como aos vossos comentários e sugestões! 

Espero que este post vos tenha agradado! 

Até Breve

Margarida

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D