Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Arte da Simplicidade

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

A Arte da Simplicidade

07
Mai17

Aproveitar as situações de medo para crescer e evoluir #2


Margarida

Como prometido no último post venho contar-vos uma das minhas histórias em que a coragem venceu o medo do desconhecido e de como me sinto neste momento em relação a isso. 

Como já referi por diversas vezes neste blog vivo em França desde Novembro de 2014. 

As razões que me fizeram emigrar? Um emprego de que não gostava e que acabei por abandonar numa altura em que estava fragilizada e incapaz de decidir os meus próprios passos e a vontade de dar o "salto", de ter a minha casa e ser dona e senhora da minha vida.

Somos muitos por esta blogosesfera  fora que deixamos para trás o nosso pais apesar de talvez sem as mesmas motivações mas todos demos um salto no escuro (em relação à emigração assim de cabeça lembro-me da Jess, a Joana Marques, As Nossas Voltas, Marta Neves e a Desarrumada entre muitos outros que com certeza por aí andam e que gostava que se acusassem)

Se tive medo? Tive, tive medo que a proposta fosse falsa, de não me adaptar, de não ser capaz mas o maior medo de todos foi a reação daqueles que me conheciam. E acreditem ou não foi esse o medo que mais me paralizou. Lembro-me como se fosse ontem da reação das pessoas algumas motivadoras e algumas nada encorajadoras (talvez porque fosse exatamente isso que eu esperava delas). 

A verdade é que cada vez que dizia a alguém que ia partir sentia-me como se fosse entrar numa 3ª Guerra Mundial e quando as reações eram desencorajantes então apetecia-me não dizer mais nada ou então mesmo desistir da ideia. 

O tempo foi passando e contra tudo e todos a data chegou, perdi supostos amigos com isso mas ganhei muito amor próprio e um sentimento de curiosidade e aventura ganhou forma e deu-me força. Esqueci o medo e avancei... e esse avanço deveu-se também a todas as pessoas que entraram na minha vida e que me mostraram que a nossa casa pode ser em qualquer lado desde que nos sintamos bem e em paz. 

Se sinto saudades, sim! Se ainda tenho medo? Cada dia que passa acho que não seria capaz de repetir a graçola de animo leve! Se vencer o medo me ajudou a sentir-me mais segura e mais confiante em mim própria e nas minhas capacidades? Decididamente! 

Se é difícil vencer o medo? É... mas alguma coisa nesta vida se consegue sem esforço?! 

E vocês qual a mudança na vossa vida em que o medo foi mais fraco do que a vossa motivação?

Margarida

 

 

15 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D