Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Arte da Simplicidade

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

"Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico." (Séneca)

A Arte da Simplicidade

15
Ago17

Cuidar do Rosto: A Massagem!


Margarida

Desde que comecei este blogue que vos falo de rituais de beleza naturais, como é o caso do Layering, e da consequente utilização de óleos vegetais para desmaquilhar e hidratar o rosto.  

Uma das fases "xuxus" da minha rotina diária, especialmente antes de ir dormir, é a aplicação de um óleo vegetal, que no meu caso é o de jojoba. Relembro-vos que este óleo é perfeito para as peles com tendência a oleosas como a minha. 

E agora dizem vocês: "Mas Margarida utilizar óleo sobre a pele oleosa vai aumentar as borbulhas/ o acne/ vai entupir os poros"... etc, etc! E eu respondo-vos: não faz nada disso! Juro que pensava como vocês até ter experimentado! 

O meu segredo?! Uma boa aplicação do óleo. Ora vejamos: 

Passo n.º 1: Colocar nas mãos o equivalente a 3 gotas de óleo e aquece-lo entre as mãos para permitir uma melhor penetração.

Passo n.º 2: Utilizar as palmas das mãos inteiras para a aplicação do óleo. Os movimentos devem ser do tipo "effleurage", ou seja uma massagem de deslizamento muito suave.

Passo n.º 3: Massage do interior para o exterior e depois no sentido das orelhas e do pescoço. A duração da massagem deve ser de 3 minutos mínimo! O segredo colocar uma música calma para controlar o tempo pois 3 minutos pode ser longo... 

E são estes os passos essenciais para conseguir uma aplicação eficaz dos óleos essenciais. Para que a visualização seja mais fácil deixo-vos um vídeo de Julien Kaibeck que vos permitirá perceber melhor a aplicação do vídeo (falado em francês): 

E vocês, já pensaram em experimentar a utilização de um óleo puro sobre o rosto? Independentemente do vosso tipo de hidratante fazem massagem no rosto? Aguardo os vossos comentários e os vossos likes na página de Facebook e no Instagram do blogue! 

Até breve!

Margarida

 

Fonte: "Adoptez la slow cosmetique" de Julien Kaybeck

Site: www.lessentieldejulien.com/

 

12
Ago17

A verdadeira semana de c**o!


Margarida

Acabou finalmente esta semana interminável que já começou no Domingo passado, acabou hoje e contou com 7 dias de trabalho, uma noite de "reserva" e umas grandes crises de nervos. 

Durante este período não fiz nada mas nada daquilo que normalmente defendo: não meditei, não agradeci, não respirei fundo, não comi decentemente, não cuidei de mim nem tive paciência, nem mesmo uma atitude bondosa, para as pessoas que amo. Foi a verdadeira semana de cocó de onde só me apetecia fugir e pedir às pessoas para pararem com aquele circo todo. 

E os prejuízos estão todos lá: um cabelo que cai e que não têm jeito nenhum, uma cara de cansaço que mete medo ao susto, acne (a má alimentação e a falta de cuidados pagam-se e estou cheia de borbulhas), dores pelo corpo todo, uma sensação de fadiga infernal, o coração apertado por ter sido desagradável com os colegas no trabalho (não que me arrependa do que disse mas sim da forma pouco "assertiva" com que o disse) e chateada comigo própria por estar chateada com ele também (mesmo que saiba que não estou a ser totalmente justa)... 

Se foi do cansaço se do mau génio não sei... só sei que estou contente que esta semana termine e que eu possa, finalmente, ter um tempinho para mim e melhorar as minhas energias. Porque, tenho a dizer, estão mesmo muito negras! 

E vocês, como foi a vossa semana? Melhor do que a minha, espero! 

Margarida

10
Ago17

"Temos de mudar o Mundo, não os nossos corpos"


Margarida

Vivemos numa era onde a imagem, seja da mulher ou do homem, têm de ser perfeita. Somos quase obrigados a ser jovens, magros, a levantarmo-nos de manhã impecáveis e a manter a frescura durante todo o dia, mesmo se o dia estiver a ser horrível. 

Quantas vezes, quando éramos jovens, nos remarcavam o nossos defeitos?! "ai és tão gorda", "ai estás tão magrinho", "ai tens tanto acne...", "ai os teus dentes não estão brancos, tens de os lavar melhor". E isso, por muito que tenha sido dito com a melhor das intenções criou-nos, quer queiramos quer não, um certo mal estar em relação ao nosso corpo. 

Com a chegada da adolescência então começa o descalabro: é o não querer ir à praia para não ser visto em fato de banho, é o submetermo-nos desde cedo à pressão de estar sempre perfeita, maquilhada, perfumada e com a depilação feita. É o usar "aquela roupa" porque é a "da moda" e não aquela que nos deixa mais confortáveis... Revêem-se nisto? Eu sim... E é por tudo isto que o movimento "Body Positive" entrou na minha vida. Pela necessidade de nos aceitarmos como somos independentemente dos nossos corpos. 

O Body Positive, ou "Body Posi" é um movimento nascido em 1996 nos EUA e que pretende, desde o início, incentivar as mulheres a aceitarem-se a si e aos seus corpos como são. 

Inicialmente criado pela irmã de uma jovem bulímica, esta organização pretende espalhar a sua doutrina do: "temos de mudar o Mundo não os nossos corpos". E se o movimento tem ganhado muitos adeptos o instagram têm sido uma enorme ferramenta de difusão. 

Sem entrar em detalhes sobre a alimentação a defesa de que uma pessoa "gorda" está necessariamente doente e que uma pessoa atlética é necessariamente saudável é um dos estigmas que o grupo quer abulir.

Sem no entanto deixar de salientar que a obesidade é má para a saúde mas não se pode tirar a essa pessoa o direito de amar o seu corpo, assim como ao contrário. Afinal quantas de nós fazemos dieta para sermos "magras" e vemos "magras" a fazerem o percurso inverso porque querem ter "mais algumas curvas"?!  

Também a evolução do movimento têm sido enorme ao longo do tempo. Se inicialmente estava apenas virada para a gordura/magreza, hoje em dia a aceitação do corpo da "Mulher Imperfeita" que não têm de esconder as imperfeições da sua pele, que não têm de ter vergonha das estrias que ganhou com a gravidez nem da celulite que é quase uma tortura para todas nós e que nem tem de se submeter a processos dolorosos como a depilação se assim o entender. Também a aceitação do corpo da pessoa doente, como uma mulher que sofreu uma remoção mamária pós cancro é bastante difundida por este meio. 

Outro dos mantras do movimento é que "Não há nenhum modelo de mulher superior a outro" e, sendo assim, qualquer mulher é bem vinda como é! Também os homens, sobretudo no instagram, alinham nesta onda de revolta contra os preconceitos de beleza pois, também eles têm sentido o peso da "importância do corpo" nas suas vidas. 

São muitas as figuras públicas que já demonstraram o seu apoio a esta causa, destacando-se entre outras as cantoras Alicia Keys e Madonna. 

E vocês? Como se sentem em relação aos vossos corpos? Só vêm defeitos ou amam-se como são? Fazem alguma coisa ou usam alguma coisa apenas porque a sociedade vos "exige"? Aguardo ansiosamente os vossos feedbacks. 

Convido-vos também, se gostaram deste post, a aderir ao #BodyPositive no Instagram e, na volta, também ao "Margarida- Arte da Simplicidade"

Margarida

 

 

 

05
Ago17

A Escrita como uma Aliada!


Margarida

Despertei para a importância da escrita já há algum tempo atrás quando, depois de passar meses e meses, a ler sobre psicologia positiva decidi finalmente escrever (anteriormente apenas dizia em voz alta) o que queria "ser" daqui a uns anos. 

Fiquei tão impressionada com a quantidade de coisas que consegui escrever que me perguntei várias vezes porque raio nunca tinha pensado naquilo antes! 

Escrever pode ser uma forma clara de "dar forma" e "clarificar" aquilo que somos ou o que queremos. De conseguir ver mais além do que aquilo que os nossos olhos nos mostram. É correlacionar várias áreas da nossa vida e perceber exatamente onde é que elas se cruzam. 

Os blogues são, por si só uma ótima forma de perceber o que é importante ou não. Quando contamos episódios da nossa vida, quando escrevemos sobre uma viagem, uma experiência ou um restaurante, quando propomos um DIY ou uma lista de produtos experimentados estamos a colocar lá, ponto por ponto, o nosso sentimento e a nossa experiência muito melhor e mais profundamente do que se apenas a contássemos aos amigos. 

Desde que percebi esse enorme potencial da escrita faço o que posso para dar forma aos meus pensamentos, sentimentos e as minhas necessidades desta forma e direccionado para as várias áreas da minha vida!

Deixo-vos aqui algumas ideias de como utilizar formas escritas para vos facilitar a vida e vos ajudar a tornarem-se mais organizados, evitarem más surpresas e sobretudo perceberem quem são, do que precisam e se tornarem mais felizes: 

- Listas de Compras: Se, há alguns anos a esta parte, eram apenas uma futilidade hoje vejo-as como algo mesmo necessário. O meu método é assentar tudo aquilo que está a acabar para repor o stock sem surpresas. Quando quero fazer algum prato especial tento programas as coisas em avanço e, dentro do possível, evitar voltar duas e três vezes ao supermercado durante a semana. Poupança garantida de tempo e de dinheiro! 

- Menus Semanais: Fiz-vos há algum tempo um post sobre o tema. Uma forma rápida de evitar a preguiça e a frustração de não saber o que preparar para a refeição seguinte, de comer melhor e de não desperdiçar comida!

- Budget: Esta foi talvez a lista onde tive dificuldade a aderir. Considerei-me sempre ponderada nas minhas compras mas, a verdade, é que cheguei muitas vezes ao fim do mês sem saber o que raio tinha feito ao dinheiro. Organizo o meu "budget" mensal com todas as minhas despesas e os valores que preciso para cada item, tal como já vos expliquei num artigo sobre o tema. Utilizo o mesmo princípio para organizar viagens ou quando preciso de fazer uma compra mais "pesada" financeiramente. Torna tudo francamente mais fácil, sem a sensação de se sentir pressionado e ainda com possibilidade de mais poupança, ou um miminho, no final do mês!

- Listas de Necessidades: Esta lista funciona um bocadinho como uma "lista de compras" mas é mais virada para a roupa, objetos da casa e de decoração. Ela é ideal para todos aqueles que têm dificuldade em controlar as compras irrefletidas e de momento. Por exemplo se acho que preciso de um vestido azul escrevo-o na lista e deixo-me alguns dias para perceber se preciso mesmo dele ou não. Se achar que sim deixo-o na lista depois classifico-o em prioridade: é mesmo urgente/prioritário? pode esperar o próximo mês? ou é uma compra a programar para daqui a algum tempo? 

Todas estas perguntas permitir-nos-ao perceber se essa compra nos fará mesmo feliz e se, ao comprarmos um vestido este mês não vamos por em causa a compra do livro que precisamos para a escola, por exemplo. Não se esqueçam que a maior parte das compras que fazemos são por impulsos que duram pouquíssimo tempo e, se nos deixarmos dois ou três dias para pensar, acabaremos por nem nos lembrar mais dela. 

- Lista dos Desejos: Tenho esta lista em duas versões. Uma para mim própria e outra em comum com o meu namorado. Delas fazem parte aquilo que quero/queremos fazer ou ter. Sejam viagens, compras, experiências... São uma boa maneira de sermos honestos connosco de próprios e saber o que queremos ter! Seja hoje ou daqui a 5 anos. 

- Lista de Objetivos: Tal como a anterior. Tenho esta lista em versão tripla: os meus objetivos mensais, os meus objetivos trimestrais e os nossos objetivos a dois. Ao contrário da lista de desejos coloco/colocamos nesta lista aquilo que já sabemos que queremos mas que precisamos planear ou trabalhar. Seja aprender uma língua nova, ser promovido no emprego ou mudar de casa essas pequenas coisas são importantes para não perdermos o "Norte" dos nossos dias e guardar uma certa motivação mesmo nos momentos mais críticos. 

- Lista de Gratidão: O objetivo desta lista é enumerar, todos os dias, o que de bem te aconteceu. Isso permitirá perceber que, mesmo o dia mais difícil teve coisas muito boas. Estas listas são também muito úteis quando estamos a passar uma fase má entre o casal, no trabalho ou com amigos ou família. Basta consulta-la e ver a quantidade de vezes que a pessoa nos fez feliz e tudo se tornará menos negro. 

- Escrever sobre os problemas pode também ser uma boa forma de tornar a coisa mais clara e assim mais suportável. Pode também ser uma ferramenta para encontrar uma solução que, de outra forma, não conseguiríamos vê-la tão "enrolados" que estávamos nos problemas. 

E assim vos deixo uma série de formas em que podem utilizar a escrita como uma ajuda a ser mais organizados e a não desperdiçar tempo, dinheiro e energia com coisas do dia a dia ou problemas. Uma boa forma de compilar estas informações será por exemplo o "Bullet Journal" ou num caderninho. Para as coisas mais práticas como as listas de compras ou o budget nada como um ficheiro excel ou descarregar a aplicação "Google Tips" que te permitirá criar listas e notas no teu telemóvel e que estarão sempre ali "à mão de semear". 

Espero que este post vos tenha agradado e que vos dê algumas ideias para se organizarem e se conhecerem melhor. Estou curiosa deste lado para saber se vocês usam listas e, se sim, quais e como. Aguardo o vosso feedback!

Boa Noite de Sábado!

Margarida

 

01
Ago17

Desafio de Agosto #Aprender a dizer não!


Margarida

Espero que tenham conseguido recuperar alguns laços com o desafio do mês passado e que estejam empenhadissimos com este mês de Agosto!

Desta vez vamos falar sobre "Dizer Não"!

Pessoalmente é um dos meus piores defeitos o não saber dizer não e o querer agradar tanto aos outros que acabo a fazer papel de "banana"... Aproveitemos Agosto para soltar o nosso "Grito de Ipiranga"! 

A ideia é simples: guarda meia hora para ti e escreve numa lista todas aquelas situações em que não disseste que não e no fim te sentiste mal contigo mesmo. Depois de estabelecidas estas correlações vê aquelas que acontecem com mais frequencia e treina-te a, da próxima vez, dizeres que não! Treina-te ao espelho, repete-o em voz alta... 

Quando essa situação surgir não hesites nem por um segundo a dizer um "não". Mesmo que tenhas medo de magoar as pessoas lembra-te que elas são muito mais resistentes do que aquilo que imaginas! E tu também ficarás mais forte e te mostrarás mais decido a cada repetição. 

Atenção que não vos incito a dizer sempre que não mas, se algo vos faz sentir mal no fim porquê arrastar?

Espero que este desafio vos agrade e que Agosto seja o mês do Sim! Sim para ti, para aqueles que amas e para a tua felicidade! 

Margarida 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D